Carimbados, partidos se afastam do Centrão

Carimbados, partidos se afastam do Centrão

Coluna do Estadão

31 de maio de 2019 | 05h00

Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Na avaliação de dirigentes partidários, o governo foi eficiente e conseguiu marcar o Centrão como um impedimento para as agendas prioritárias do País. Mais: carimbou Rodrigo Maia (DEM-RJ) como integrante do bloco. Para um ex-ministro, o presidente da Câmara deu munição ao bolsonarismo quando articulou a recriação do Ministério das Cidades e indicou um aliado para ocupar o cargo. A partir de agora, os partidos do Centrão seguirão juntos, pois sabem da força do grupo, mas as demonstrações de unidade serão mais discretas e pontuais.

Esforço. Na convenção do DEM, ACM Neto se esforçou para negar a associação com o Centrão. O PR tirou do papel o projeto de mudar de nome para Partido Liberal e ainda apresentou um substitutivo à reforma da Previdência.

Pioneiro. O PSD foi decisivo para fazer estremecer o bloco. A bancada votou em peso para manter o Coaf com Sérgio Moro (Justiça), contrariando o entendimento do Centrão.

Reforma. “A emenda do PL será analisada como todas as outras. O fato de eu ser o presidente não contamina uma emenda que preenche os requisitos regimentais”, diz Marcelo Ramos, à frente da Comissão Especial e filiado ao PL.

Na ponta… Um membro do governo Michel Temer respirou aliviado com o recuo da equipe econômica em liberar também o saque de contas ativas do FGTS. Segundo, ele, o governo se perdeu nos cálculos.

…do lápis. Explica: na gestão passada, foi estudada a possibilidade, mas chegaram à conclusão de que assim o fundo ficaria sem recursos e os programas habitacionais e de saneamento, financiados por ele, iriam para o “fundo do poço”.

Valeu. Hamilton Mourão aproveitou agenda em Manaus e conversou com o governador Wilson Lima (AM), que agradeceu o apoio do governo federal na crise dos presídios.

Análise. O Departamento Penitenciário Nacional trabalha para concluir até o próximo mês um modelo de parceria público-privada para os presídios. O estudo será apresentado ao BNDES e a Sérgio Moro.

SINAIS PARTICULARES
GOVERNADORES
Antônio Denarium (PSL-RR)

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

Contra… O adiamento para a próxima quarta-feira do julgamento no Supremo Tribunal Federal sobre privatizações frustrou a expectativa do governo. O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da AGU, André Mendonça, agiram pessoalmente para resolver o assunto o quanto antes.

…o relógio. No caso da Transportadora Associada de Gás (TAG), por exemplo, investidores já haviam depositado no Brasil mais da metade dos recursos e até pago IOF. Uma reversão de expectativas preocupa a equipe econômica.

CLICK. O advogado Walfrido Warde (à esq.) promoveu jantar em homenagem ao embaixador da China no Brasil, Yang Wanming. Caetano Veloso foi a estrela da noite.

FOTO: COLUNA DO ESTADÃO

Eficiência. O grupo da PF responsável pelos inquéritos de autoridades com foro privilegiado tem hoje 108 investigações em andamento. Sérgio Moro pediu celeridade, quer tirar da frente ao menos os casos mais adiantados.

Dúvida. O PT paulista se divide entre arriscar com um nome novo para disputar a Prefeitura de SP ou apostar num medalhão veterano que garanta uma boa bancada de vereadores. O partido tenta convencer Aloizio Mercadante, mas o ex-ministro disse que não pretende ser candidato.

PRONTO, FALEI!

Deputado Wellington Roberto (PR-PB). FOTO: ALEX FERREIRA/CÂMARA DOS DEPUTADOS

Wellington Roberto, líder do PR na Câmara: “O povo ainda está esperando uma agenda que possa, de fato, gerar empregos. Cabe ao governo dar essa resposta, o Parlamento está fazendo sua parte.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tendências: