Cargo ocupado por Bruno Pereira na Funai está vago desde janeiro

Cargo ocupado por Bruno Pereira na Funai está vago desde janeiro

Mariana Carneiro, Julia Lindner e Gustavo Côrtes

20 de junho de 2022 | 05h01

O cargo de coordenador-geral de índios isolados da Funai, exercido por Bruno Pereira até setembro de 2019, está sem um titular desde janeiro, quando Marcelo Fernando Torres foi exonerado. Atualmente, Geovanio Pantoja ocupa a posição na condição de interino. Servidores dizem, sob reserva, que a gestão de Marcelo Xavier na Funai tem usado como estratégia manter interinos em cargos-chave como uma forma de enfraquecer os comandos de técnicos do órgão. Depois que Pereira deixou o cargo, dois substitutos passaram pela função e apenas uma única viagem foi feita ao Vale do Javari, onde ele foi assassinado junto com o jornalista Dom Phillips. Foi em agosto de 2020 após uma ordem do STF.

Foto: Bruno Jorge/Divulgação/Funai

MANDA. A incursão só ocorreu porque o ministro do Supremo Luís Roberto Barroso ordenou que o governo federal tomasse medidas para controlar o contágio de Covid entre indígenas.

PROPÓSITO. Segundo relatos de ONGs que atuam no local, o então coordenador Ricardo Lopes Dias usou a viagem para viabilizar a entrada da Missão Novas Tribos do Brasil (MNTB), congregação evangélica da qual faz parte e que atua na conversão de indígenas. Procurada, a Funai não se manifestou.

PRONTO, FALEI. Mauro Benevides, deputado federal (PDT-CE)

“Ou o governo federal acaba com essa desastrosa política de preços da Petrobras ou a inflação e os juros vão explodir a economia brasileira”

CLICK. Ronaldo Caiado, governador de Goiás (União)

Reprodução

Em pré-campanha à reeleição, assistiu ao desfile de máscaras e tirou fotos na tradicional festa das Cavalhadas de Palmeiras de Goiás.

Tudo o que sabemos sobre:

Cargo; Bruno Pereira; Vago; Funai

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.