Cardozo diz que não citará ‘Tomás Turbando’ em defesa de Dilma

Cardozo diz que não citará ‘Tomás Turbando’ em defesa de Dilma

Ex-ministro fez piada com pegadinha da qual foi vítima em junho deste ano

Coluna do Estadão

09 de agosto de 2016 | 22h26

cardozo

O ex-ministro José Eduardo Cardozo, responsável pela defesa da presidente afastada, Dilma Rousseff, disse que não fará menção a nenhum jurista “Tomás Turbando”, como ocorreu em junho, durante a Comissão Especial do Impeachment no Senado. Em tom de brincadeira, Cardozo disse a jornalistas que citará outra jurista de nome capcioso.

“Hoje, o Tomás Turbando não vai ser citado. Vou citar outro, Paula Tejando. A Paula Tejando é melhor”, afirmou o ex-ministro, que ainda terá direito a falar por 30 minutos.

Em junho, o advogado José Eduardo Cardozo caiu em uma pegadinha na Comissão Especial do Impeachment no Senado ao citar o jurista “Tomás Turbando”.

Na verdade, Cardozo se referia a Thomas da Rosa de Bustamante, professor de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A cacofonia aconteceu quando o advogado lia um documento relatando diversos nomes de importantes juristas com pareceres a favor de Dilma. (Daniel Carvalho)

Tudo o que sabemos sobre:

Gafe

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.