Brisa curitibana esfria ânimos de advogados

Brisa curitibana esfria ânimos de advogados

Coluna do Estadão

24 de outubro de 2019 | 05h00

Prédio do Supremo Tribunal Federal. Foto: Divulgação

Advogados e militantes dos meios jurídico e político contrários à prisão após a segunda instância sentiram uma brisa gélida (de inspiração curitibana) esfriar seus ânimos após o voto de Alexandre de Moraes. Se a decisão do ministro, pela manutenção do entendimento atual, não foi suficiente para virar de vez o vento e diminuir ainda mais as esperanças dos opositores da Lava Jato, isso ocorrerá caso Rosa Weber e Cármen Lúcia sigam pelo caminho de Moraes. A sensação até agora: o STF permanece sensível à opinião pública e às redes lavajatistas.

A ver. O entendimento é de que Cármen tem tido um histórico de “votos intermediários”, sempre de olho na opinião pública. Há uma esperança entre advogados de que seja ela quem apresente a possibilidade de jogar para o STJ a definição das prisões.

A ver 2. Com o voto de Moraes a favor da prisão em segunda instância, passa a ser possível também um empate de 5 a 5. Nesse cenário, a decisão ficaria com o ministro Dias Toffoli.

Fiat… No julgamento da prisão em segunda instância, o presidente do STF, Dias Toffoli, anunciou que a Corte passara incólume a uma queda de energia por causa da ativação imediata dos geradores.

…lux. Toffoli aproveitou para lembrar uma situação semelhante ocorrida há dez anos, na ocasião de sua posse no Supremo. Marco Aurélio Mello comentou: “Que a luz não se apague no Supremo”. Aos risos, O presidente do STF respondeu: “Claro que não. Veja que há dez anos não se apagou e, na data de hoje, também não”.

Plano… A despeito da intenção do clã Bolsonaro de preparar Eduardo para assumir a presidência nacional do PSL, surge um novo enredo para o deputado, após a malograda ideia da embaixada de Washington: o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A indicação, que é política, não passa pelo Congresso.

GPS. O filho 05 do presidente Jair Bolsonaro, Renan, foi à Câmara ontem acompanhado do segurança da Presidência. Perdeu-se procurando o novo gabinete do irmão, Eduardo, na liderança do PSL. Passou mais de meia hora no local.

Déjà vu. A securitização da dívida dos Estados, prevista na pauta do plenário da Câmara, enfrentará o mesmo problema que a reforma da Previdência: deputados não querem facilitar a vida dos governadores.

Bye… O Conselho de Administração dos Correios aprovou a proposta de dissolução e liquidação integral da Correios Participações S.A. Criada em 2014 para gerir parcerias estratégias, nunca conseguiu concluir sua finalidade.

…bye. A subsidiária acumula R$ 21 milhões em patrimônio negativo líquido, que será absorvido pelos Correios. Tem um custo anual de R$ 3,3 milhões.

CLICK. Davi Alcolumbre (DEM-AP) aproveitou seu primeiro dia como presidente da República em exercício para receber colegas senadores no Palácio do Planalto.

Foto: Divulgação/Davi Alcolumbre

Volta… Deputados do DEM reclamaram com Elmar Nascimento que o jantar na liderança do partido estava muito melhor na semana em que ele esteve fora do comando da bancada.

…sushi! O refinado cardápio na gestão interina de Alexandre Leite tinha sushi, bacalhau e até jamón serrano. Na volta de Elmar, saladinha, farofa e salpicão.

SINAIS PARTICULARES. Alexandre Leite, deputado federal (DEM-SP); por Kleber Sales

PRONTO, FALEI!

Do senador Plínio Valério (PSDB-AM): “Toma, presidente, a bola agora está contigo. Pare de reclamar. Faça este País destravar, andar, chegar lá na base”, sobre aprovação da reforma da Previdência.

COM ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA. COLABORARAM RICARDO GALHARDO, FELIPE FRAZÃO E DIEGO KERBER.

Tendências: