Brasil quer “sala de situação” com EUA para tratar de segurança nas fronteiras

Lu Aiko Otta

24 de abril de 2017 | 06h15

EMB6 BSB 08/10/2001 -GERAL- FOTO DA EMBAIXADA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMERICA COM O MOVIMENTO TRANQUILO APOS OS ATAQUES DOS USA E ALIADOS AO AFEGANISTAO, NO SETOR DE EMBAIXAS SUL. FOTO DIGITAL JOEDSON ALVES/AE

Embaixada dos Estados Unidos, em Brasília. Foto Joedson Alves/AE

 

O Brasil deve propor aos EUA a criação de uma espécie de “sala de situação”, com agentes de diversos órgãos dos dois governos, para tratar de problemas de segurança nas fronteiras brasileiras. A ação de terroristas e do crime organizado, além do tráfico de armas, estão entre os temas de interesse. Essa proposta faz parte de uma agenda bilateral que está em preparação. A diplomacia brasileira trabalha para que o presidente Michel Temer faça uma visita oficial aos EUA ainda este ano e que nela sejam produzidos resultados concretos.

O uso compartilhado da base de Alcântara, no Maranhão, é outro tema. Há ainda diversas medidas para melhorar o fluxo de comércio entre os dois países, além de cooperação na área acadêmica.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter
: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.