Bolsonaro quer porte de arma a agentes de trânsito

Bolsonaro quer porte de arma a agentes de trânsito

Coluna do Estadão

14 de dezembro de 2019 | 05h00

Agentes de trânsito comemoraram quando Senado aprovou porte de arma para categoria. Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

No novo projeto de porte de armas enviado ao Congresso, o governo ressuscitou a inclusão dos agentes de trânsito como uma das categorias com a prerrogativa. Ela não constava no texto anterior, do deputado Alexandre Leite (DEM-SP), apesar de ter aparecido em um dos oito decretos editados por Jair Bolsonaro. O porte a esses agentes também já foi vetado por Michel Temer, em 2017. O Executivo, aliás, acrescentou outras três categorias na proposta: guardas portuários, membros de Defensorias Públicas e advogados públicos federais.

Vestiu a camisa. Uma novidade agora é que a justificativa do projeto foi elaborada por Sérgio Moro, diferentemente das anteriores, redigidas por Onyx Lorenzoni (Casa Civil).

Mais um. Devido a um acordo no último projeto, esse texto chega ao Congresso com regime de urgência. O governo já enviou oito decretos e duas propostas sobre o tema neste ano.

O que acham. “Isso significa um agente do Estado não especializado com desvio de função, o que coloca a vida dele e de outras pessoas em risco”, avalia Ivan Marques, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Bolsa de apostas. Segundo palacianos e amigos de Jair Bolsonaro, Jorge Oliveira, o secretário-geral da Presidência, está em “alta conta com o chefe”, o que quer que isso signifique.

SINAIS PARTICULARES.
Jorge de Oliveira, ministro da Secretaria-Geral da Presidência

KLEBER SALES

Cálculo. Tucanos próximos a João Doria avaliam que o governador confiou demais em Bruno Araújo na disputa pela liderança da bancada da Câmara, esquecendo que o presidente do PSDB também tem bom trânsito com Aécio Neves.

Machucado. A disputa pela liderança do PSDB na Câmara talvez não tenha terminado, mas várias feridas já estão abertas. Algumas articulações de Aécio Neves envolveram Davi Alcolumbre e incomodaram até aliados do mineiro.

Efeito PSL. Outro partido rachado na disputa pela liderança de bancada na Câmara dos Deputados é o DEM. Elmar Nascimento (BA) está com dificuldades em emplacar Alexandre Leite (SP). Quem tem boas chances é Efraim Filho (PB), apoiado pela ala governista.

CLICK. A convite do procurador-geral Marcelo Lopes, João Henrique de Orleans e Bragança esteve no Convento do Carmo, que está sendo restaurado pela PGE-RJ.

COLUNA DO ESTADÃO

Correndo… O governo está apreensivo com um possível cancelamento da prorrogação dos incentivos fiscais à Sudam e à Sudene até 2023, cujo julgamento no Tribunal de Contas da União (TCU) começou na quarta-feira passada.

…contra o tempo. Se não for convocada sessão extraordinária na próxima semana, os incentivos podem ser cancelados. Sem isso, o governo teme que empresas deixem as regiões Nordeste e Norte. A prorrogação foi estabelecida por Michel Temer e sancionada por Jair Bolsonaro neste ano.

Pesos… Uma servidora da liderança do PT na Assembleia de SP teve sua exoneração tornada sem efeito, no fim de novembro, oito meses depois de deixar de trabalhar. Cilene Maria Obici, diretora da Apeoesp, vai receber, de forma retroativa, todos os salários.

…e medidas. O caso foi levantado pelo PSL, que pretende questionar a decisão do comando da Casa de não anular a exoneração de um de seus servidores. O comando da Assembleia e a liderança do PT não responderam à Coluna.

PRONTO, FALEI!

Reprodução Câmara dos Deputados

Júnior Bozzella, deputado federal (PSL-SP): “Não se pode mudar acordo por caso fortuito. O PSL continua tendo a maior bancada da Casa”, sobre a tentativa de outros partidos de tomar o comando da CCJ.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. COLABOROU PAULA REVERBEL.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tendências: