Bolsonaro dobrará sua aposta no radicalismo para chegar ao segundo turno?

Bolsonaro dobrará sua aposta no radicalismo para chegar ao segundo turno?

Alberto Bombig, Camila Turtelli e Matheus Lara

02 de janeiro de 2022 | 02h50

Bolsonaro participa de evento com empresários promovido pela CNI em Brasília em 7 de dezembro de 2021. Foto: Gabriela Biló/Estadão

O comportamento de Jair Bolsonaro no finalzinho de 2021 leva muita gente no mundo político a acreditar que ele não fará grandes gestos de trégua em direção ao centro político neste ano eleitoral. Pelo contrário, deverá dobrar a aposta na radicalização. Mas, se há consenso de que o voto do “eleitor de centro” será decisivo, qual é a estratégia do clã Bolsonaro e seus assessores? Um experiente profissional de campanhas e um líder de larga rodagem do Centrão analisam: o presidente parece estar convencido de que precisa dobrar a aposta no sentido de manter seu núcleo duro de intenção de votos, em torno de 15%, para, depois, tentar somar a ele uns 10% de antipetistas. Com 25%, seguirá com chances de segundo turno, avaliam os ouvidos.

É RADICAL. Os estrategistas de Bolsonaro acham que a entrada de Sérgio Moro no cenário presidencial tirou do presidente qualquer possibilidade de ele buscar o voto da “direita moderada” no primeiro turno.

EM ALERTA. Do lado petista, a percepção do cenário tem alguns pontos semelhantes, especialmente no que diz respeito ao segundo turno. Lula está disposto a liquidar logo a fatura e evitar qualquer risco de ser engolido por uma nova onda antipetista, como a que se levantou nas eleições de 2016.

PARAQUEDAS. Quem conversou recentemente com Lula diz que ele continuará buscando o voto do centro para vencer no primeiro turno. Mas o ex-presidente não descarta, em privado, a opção de, em algum momento, “fechar a casinha da campanha” com posições radicais de esquerda para não perder o apoio mais fiel.

PRONTO, FALEI! Rodrigo Pacheco (PSD-MG), presidente do Senado

FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

“Um ano muito difícil está chegando ao fim, mas os desafios no Brasil são muitos. E apenas com união, serenidade e muito trabalho vamos fazer do nosso País um lugar melhor para todos.”

FLORESTA. Moro tem discutido com sua equipe propor para a Amazônia uma versão ambiental do programa Vigia, implementado em fronteiras durante sua passagem pela Justiça. A ideia é aproveitar a tecnologia para orientar ações de repressão ao desmatamento.

CLICK. Flávia Arruda, ministra de Estado

Foto: Instagram Flávia Arruda/Reprodução

Em mensagem de final de ano, a chefe da Secretaria de Governo relembrou momentos de seu contato com os brasileiros e falou em “esperança”.

CONSTRUÇÃO… O presidente do PSDB-SP, Marco Vinholi, não descarta ser pré-candidato ao Senado. Porém, disse à Coluna que a prioridade do partido será atuar na construção das candidaturas de João Doria e de Rodrigo Garcia.

…CONJUNTA. “O PSDB paulista trabalha coletivamente nos projetos de João Doria para presidente e Rodrigo Garcia para governador, fazendo a construção necessária para aglutinar forças nesse sentido. Confiamos na liderança dos dois na formação da chapa que irá representar esse projeto vencedor”, afirma Vinholi.

RETROSPECTIVA. No contorcionismo para acenar ao centro sem abandonar a complacência com autoritários de esquerda, Lula ofendeu a inteligência dos verdadeiros democratas em julho de 2021: enquanto o PT instigava os brasileiros a irem às ruas aqui, Lula passava pano para a ditadura cubana, que prendia manifestantes.

SINAIS PARTICULARES (por Kleber Sales), Lula, presidenciável do PT

JURA QUE NÃO SABE? “O que está acontecendo em Cuba de tão especial pra falarem tanto?”, escreveu Lula no Twitter

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.