Bolsonaro dá chapéu em ministros e entrega a Temer papel de pacificador

Bolsonaro dá chapéu em ministros e entrega a Temer papel de pacificador

Alberto Bombig e Matheus Lara

10 de setembro de 2021 | 05h00

É dura a vida de quem tem de lidar com Jair Bolsonaro. Flávia Arruda e Ciro Nogueira suaram a camisa depois da terça-feira do 7 de Setembro para convencer o presidente a desarmar o espírito e estender a mão ao STF, mas tomaram um “chapéu” do presidente. Fizeram a cama, nas palavras de um palaciano, mas quem deitou nela e ficou com a fama foi Michel Temer, muito à vontade no papel de “pacificador”.

O ex-presidente ainda conservou a imagem de “independente”: na mesma terça fatídica, chancelou, com Ricardo Nunes, prefeito de São Paulo, a dura nota do MDB contra Bolsonaro.

Foto: Felipe Rau/Estadão

Vixe. Para piorar, enquanto Bolsonaro se entendia com Temer, e os “moderados” do Planalto, junto com Arthur Lira, trabalhavam pelo armistício entre Poderes, Baleia Rossi (SP), presidente nacional do MDB, castigava o governo e Bolsonaro na GloboNews.

Por… Segundo um conhecedor das tramas do Planalto, o “erro” de Lira e de Nogueira foi figurarem em reportagens da imprensa no papel de “fiadores” da estabilidade e da moderação, capazes de frear Bolsonaro. Esqueceram-se de combinar com o presidente.

…conta. Bolsonaro fica contrariado com esses movimentos e gosta de fazer justamente o contrário.

Risca no chão. A despeito da decepção de alguns, o pronunciamento de Arthur Lira após o 7 de Setembro foi lido como muito duro por gente importante do Planalto e do Congresso. O de Luiz Fux então…

CLICK. Dobradinha de boa ação na Câmara de São Paulo: o vereador Felipe Becari (PSD) resgatou ‘Bidu’ (rebatizado como ‘Snape’), vítima de maus-tratos, e Fernando Holiday (Novo) o adotou.

Uma… Exemplo no corte de gastos no mandato parlamentar, Marcel van Hattem (Novo-RS) encontrou uma fórmula inteligente de economizar nas passagens aéreas, tão caras em todos os sentidos aos deputados.

…boa… Por conta de seus constantes deslocamentos pelo País, adquiriu as passagens na tarifa “top” ou “max” (reembolsáveis) com até três meses de antecedência no cartão de crédito por até 25% do preço.

…ideia. O custo pessoal é alto: o deputado compra de quatro a seis passagens para cada semana e precisa ficar em cima das aéreas em eventuais reembolsos. A economia no gabinete em agosto chegou a quase 80%. Pouco mais de R$ 8,7 mil dos R$ 40,8 mil disponíveis foram utilizados.

SINAIS PARTICULARES. Marcel van Hattem (Novo-RS), deputado federal. Ilustração: Kleber Sales/Estadão

PRONTO, FALEI!

Rodrigo Maia, secretário de Projetos e Ações Estratégicas de SP

“O evento de terça foi um desastre pro Bolsonaro, e a nota agora uma humilhação”, sobre o recuo do presidente após encontro com Temer nesta quinta-feira, 9.

Foto: Dida Sampaio/Estadão

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.