‘Bolsonarismo 2.0’: o inimigo agora é outro

‘Bolsonarismo 2.0’: o inimigo agora é outro

Coluna do Estadão

30 de agosto de 2020 | 05h00

Foto: Gabriela Biló/Estadão

Quem observa as transmutações discursivas do “bolsonarismo” no mundo virtual enxerga inflexões significativas: 1) o PT e a corrupção dão lugar a “inimigos” amplos e difusos, o comunismo, a imprensa, etc; 2) o enfoque na agenda de costumes está mais radical; 3) o extremismo está despudorado; 4) os ataque a adversários são mais violentos em forma e conteúdo. Por ora, o “bolsonarismo 2.0” joga fumaça sobre dificuldades do governo no mundo real. Se até 2022 a economia não decolar e a gestão permanecer no piso, ele dará o tom da campanha.

Modelo. Nos EUA, Donald Trump, ídolo do clã Bolsonaro, está virando a agenda da eleição americana emulando emoções poderosas (raiva e medo) e tentando colar em Joe Biden o rótulo de “socialista”. Se der certo por lá, chegará aqui.

Here. No Brasil, deputados bolsonaristas estão nas redes sociais atacando o “comunismo”. Também ganha adeptos no País o movimento QAnon.

Aff. Em grupos bolsonaristas, até Sérgio Moro foi parar em um desses balaios de “comunistas”, junto com Aécio Neves e FHC.

Olhe pra lá. Enquanto isso, o governo sofre para colocar em pé o Renda Brasil, e o presidente continua se esquivando das perguntas sobre o Queiroz.

CLICK. Bolsonaristas lançaram a campanha “comunismo mata”. Bia Kicis: “Epidemia que já matou muito”. Querem desviar o foco da tragédia da covid-19 no País.

Reprodução/Twitter

Dias… Independentemente do que decidir Augusto Aras a respeito da renovação da força-tarefa da Curitiba, uma aposta é unânime: a Lava Jato não será mais a mesma.

…contados. A hipótese mais forte hoje é a de o procurador-geral poder replicar o que fez com a Greenfield: renovar a força-tarefa, mas deixando poucos procuradores exclusivos.

Mudança de estilo. Humberto Martins pretende fazer uma “gestão participativa” no comando do STJ. Ele assumiu o lugar de João Otávio de Noronha, considerado centralizador.

Ideia. Martins pretende levar aos ministros a proposta de criar comitês consultivos que atuarão nas áreas de gestão, saúde, segurança, transporte, tecnologia da informação, assuntos legislativos e orçamento/finanças.

Aberto. “Os ministros poderão dar a sua contribuição na área em que mais tenham interesse”, afirma.

Muitos… O magistrado considera uma “anomalia” a quantidade de recursos dirigidos ao STJ.

…processos. “As partes, os advogados, e as próprias instâncias do Judiciário devem compreender que o STJ é um tribunal de precedentes. Depois que ele firmar a sua posição sobre determinado assunto, não adianta recorrer com teses contrárias, pois tais recursos estão destinados a não ter sucesso”, diz Martins.

SINAIS PARTICULARES.
Humberto Martins, presidente do STJ

Ilustração: Kleber Sales

Agenda. O julgamento no TJSP de Ricardo Salles por improbidade administrativa deve ocorrer na próxima quinta-feira, 3. Ele é acusado de adulterar mapas do Plano de Manejo da Várzea do Rio Tietê, quando secretário de Meio Ambiente em São Paulo.

Dindim. O Novo domina o ranking das arrecadações online: dos três primeiros colocados, dois pertencem ao partido. Só a vaquinha de Marcelo Castro, pré-candidato a vereador em São Paulo, já amealhou quase R$ 40 mil.

BOMBOU NAS REDES!

O empresário e apresentador de TV Luciano Huck Foto: GABRIELA BILO/ESTADÃO

Luciano Huck, apresentador de TV e presidenciável: “Há 20 anos o destino me trouxe ao Rio. Cariocas e fluminenses precisam reagir, não com armas ou manipulações. Mas com honestidade, correção e amor.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. COLABOROU RAFAEL MORAES MOURA.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: