‘Bancada da bala’ é o pote de mágoa da vez

‘Bancada da bala’ é o pote de mágoa da vez

Coluna do Estadão

11 de outubro de 2020 | 05h00

Deputado Capitão Augusto. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Conforme se aproxima do Centrão e do ultrajado “presidencialismo de coalizão”, Jair Bolsonaro segue colocando litros de mágoas nos potes de antigos aliados. O líder da “bancada da bala”, Capitão Augusto (PL-SP), por exemplo, não vai mais insistir em uma das principais agendas da frente: a criação do Ministério da Segurança Pública. “Desisti de vez. Se tivesse um partido interessado na área, poderia ser (criado), como o (Gilberto, presidente do PSD) Kassab pegou Comunicações. Mas ninguém quer Segurança Pública, não tem orçamento.”

Tem mais. Augusto, aliado de primeira hora de Bolsonaro, disse que “quase” não reconhece mais o presidente. A mais recente decepção, assim como ocorreu com a “bancada da Bíblia”, foi com a indicação de Kassio Marques ao STF.

BBB. A “bancada do boi”, por ora, não tem do que reclamar. A Frente Parlamentar da Agricultura, com Tereza Cristina no comando da pasta, passou os últimos dias distante dos desentendimentos com o Planalto.

Ainda… Parlamentares empenhados na articulação do Renda Cidadã alertam: ideias até agora supostamente rejeitadas como fonte de financiamento do programa, entre elas a de usar os precatórios ou parte do Fundeb, por exemplo, podem voltar com força após as eleições municipais.

…pulsa. A avaliação é de que hoje elas estão escanteadas para não desgastar candidatos e parlamentares. Porém, sem a pressão das urnas, algumas soluções impopulares serão mais facilmente debatidas.

Eita! Enquanto João Campos (PSB) olha para trás e não vê adversários no seu encalço, a disputa pela prefeitura do Recife revive antigas rivalidades entre PT e DEM e entre Lula e Bolsonaro com Marília Arraes e Mendonça Filho embolados no segundo lugar das mais recentes pesquisas.

Painhos. Após ter sido acusada de esconder o PT na campanha, Marília postou foto com Lula, que já ensaia baixar no Recife para ajudá-la na busca de votos. Enquanto isso, o ex-ministro da Educação de Michel Temer tem música que diz: “Mendonça é Bolsonaro, Bolsonaro é Mendonça”.

SINAIS PARTICULARES
João Campos, candidato a prefeito do Recife pelo PSB

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

Menos, pessoal. Auxiliares próximos a Jair Bolsonaro se incomodam com o que chamam de “uso indevido” da imagem do presidente no material de candidatos País afora. São poucos, ao menos por enquanto, os que contam com o real apoio dele ou do Planalto.

Dentro. Enquanto Paulo Guedes vive dias duros no governo federal, outro expoente do pensamento liberal na economia, Hélio Beltrão, do Instituto Mises Brasil, topou o desafio de ser o “Posto Ipiranga” do candidato Arthur do Val (Patriota) à Prefeitura de SP.

CLICK. A candidata a vereador em São Paulo Flávia Bellaguarda (Rede) compensará com o plantio de árvores a emissão de poluentes produzida por sua campanha.

FOTO: COLUNA DO ESTADÃO

Uma boa… Marina Bragante (Rede), Samuel Emílio (PSB), Adriana Vasconcellos (PCdoB) e Chico Rubens Paiva (PSB), todos candidatos à Câmara Municipal de São Paulo, se uniram para criar a “Coalizão Campanha sem Covid-19”.

…ideia. O objetivo é garantir regras justas e seguras para os times de voluntários e contratados das campanhas. “Os candidatos se comprometeram a evitar ao máximo reuniões, comícios e eventos públicos presenciais, focando suas campanhas quase que 100% de forma online”, diz Emílio.

PRONTO, FALEI!

José Luiz Penna. FOTO: DENISE ANDRADE/ESTADÃO

José Luiz Penna, presidente nacional do Partido Verde: “O PV recorrerá a todas as instâncias para impedir a destruição do meio ambiente por alguém que tem a incumbência de defendê-lo”, anunciando que tomará medidas contra o ministro Ricardo Salles.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.