Ato para exonerar comissionados no Planalto não poupa grávidas e lactantes

Ato para exonerar comissionados no Planalto não poupa grávidas e lactantes

Naira Trindade

05 de janeiro de 2019 | 11h35

Ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Foto: Dida Sampaio

Na portaria em que exonerou de uma só vez 320 servidores da Casa Civil, o ministro Onyx Lorenzoni não excluiu grávidas nem mães em licença-maternidade. A assessoria dele diz que as demitidas “receberão direitos e indenizações, como determina a lei”.

LEIA MAIS EM: Polêmica sobre IOF gera suspeitas no Congresso

A medida atingiu em cheio a Comissão de Ética da Presidência, que funciona com cerca de 10 funcionários cedidos de outros órgãos ou lotados na Casa Civil. Sem eles, o andamento dos processos que investigam ministros e servidores fica prejudicado. (Naira Trindade)

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tendências: