Ataque hacker deixa Poderes atônitos e apreensivos

Ataque hacker deixa Poderes atônitos e apreensivos

Coluna do Estadão

26 de julho de 2019 | 05h00

Ministro do Supremo Marco Aurélio Mello. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

A amplitude do ataque hacker deixou os três Poderes atônitos. O entendimento geral é de que, dado o ineditismo do crime, não há respostas prontas sobre passado, presente e futuro. Se ainda há muita apreensão em relação ao conteúdo do material coletado pelos criminosos e o que fazer com ele, parte dos alvos já pensa em alternativas para evitar novos strikes cibernéticos. Uma delas seria suprimir o “vácuo legal”. “São acontecimentos novos e, por isso, não há disciplina normativa específica”, disse à Coluna o ministro do STF Marco Aurélio Mello.

Futuro. “Estamos muito atrasados em relação à América Latina e à Europa. Tem que correr em paralelo o avanço da tecnologia no sentido da proteção e, claro, leis atualizadas, mais rigorosas”, disse a senadora Simone Tebet (MDB-MS).

Contra… Davi Alcolumbre (DEM-AP), que foi hackeado, vai priorizar a CPI mista de crimes cibernéticos. Na Câmara, o presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR), pautará a PEC que torna direito fundamental o sigilo de dados.

… ataque. Relator da PEC na Câmara, João Roma (PRB-BA) ainda não analisou a matéria, mas promete o texto em agosto. “A PEC é um primeiro passo. Depois, devem vir leis mais rigorosas para esse tipo de crime”, disse Francischini.

Até tu? As invasões pegaram tanta gente de surpresa que teve ministro perguntando para seus assessores entre uma reunião e outra: “Estou na lista?”.

Eita. Alcolumbre, presidente do Senado, estava no interior do Amapá e ficou sabendo pela imprensa.

CLICK. Em evento do PSDB paulista, o senador José Serra brincou com João Doria: “Não é todo dia que a gente bebe água com o governador abrindo o copo”.

FOTO: DIVULGAÇÃO ASSESSORIA PSDB

Deixa quieto. Militares do governo foram acionados para pôr panos quentes entre o presidente e os generais da reserva, que disparam críticas contra Jair Bolsonaro. Pediram que ele não levasse adiante a história do “melancia” em cima do general Rocha Paiva.

Mais… O deputado federal Eduardo Cury (PSDB-SP) vai propor emenda à MP do FGTS, editada pelo governo Jair Bolsonaro. Quer dar ao trabalhador o poder de receber, em dinheiro e mensalmente, os valores depositados, junto com o contracheque.

SINAIS PARTICULARES
Eduardo Cury, deputado federal (PSDB-SP)

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

Análise… A edição de julho do Barômetro do Poder (feito pelo portal InfoMoney) analisa a reta final da reforma da Previdência. Em síntese, considera alta a chance de ela ser concluída em outubro no Senado, onde o risco de a proposta ser desidratada é médio (57%).

… de conjuntura. Apenas 20% dos analistas acham baixa ou muita baixa a possibilidade de Eduardo Bolsonaro se tornar embaixador do Brasil em Washington. Só 7% avaliam como alta a chance de Tabata Amaral (SP) ser expulsa do PDT.

Oposição… O PSB não participará do Foro de São Paulo. O distanciamento do partido de uma ala da esquerda ecoa em outras legendas da região: partidos chilenos, uruguaios e argentinos também ficarão fora. O novo “point” será a Coordenação Socialista Latino-Americana (CSL).

… internacional. Na próxima semana, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, e o deputado federal Alessandro Molon (RJ) fazem um tour no Chile e no Uruguai para se encontrar com representantes dos partidos na região e alinhas ideias e propostas para novo grupo de esquerda.

PRONTO, FALEI!

Marco Feliciano. FOTO: GABRIELA BILO/ESTADÃO

Marco Feliciano, deputado federal (Podemos-SP): “O premiê britânico nomeou seu irmão como ministro. Não é porque ele virou chefe do governo que a carreira do seu irmão deputado deve ser aniquilada.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tendências: