Ataque a Moro sugere blindagem a Guedes

Ataque a Moro sugere blindagem a Guedes

Coluna do Estadão

11 de maio de 2019 | 05h00

O ministro da Economia, Paulo Guedes, autor da reforma da Previdência

Na Esplanada, ministros mais atentos olham para o colega Sérgio Moro e se lembram de uma antiga peça publicitária da TV, sucesso nos anos 80: “Eu sou você amanhã” era o bordão de uma marca de vodca. Ao deixar o superministro na chuva, Jair Bolsonaro e família dão sinal de que ninguém conta com apoio total do presidente para seus projetos prioritários. Fora da Esplanada, já começa a se formar no entorno de Paulo Guedes um grupo suprapartidário disposto a blindá-lo no Congresso ao menos até o desfecho da reforma da Previdência.

Público… O Centrão aprovou a performance de Paulo Guedes na Comissão Especial, inclusive nos momentos em que ele foi mais enérgico. Acham que o ministro nessas horas fala diretamente aos corações do eleitorado bolsonarista.

…alvo. Afinal, Guedes é do time de Bolsonaro, não de Fernando Henrique, diz um deputado. A gestão Pedro Malan (1995-2002), que escapou de quatro crises internacionais, manteve estilo oposto à frente da economia nos anos FHC.

Cuma? Depois da enigmática declaração de Jair Bolsonaro de que haverá um “tsunami” na próxima semana, deputados dispararam ligações para Joice Hasselmann e Vitor Hugo, líderes de governo. Ambos não souberam ou não quiseram explicar a fala do chefe.

Pássaros na mão. Apesar de Fernando Bezerra já ter sido ministro da Integração Nacional, parte da bancada do MDB no Senado quer ver Simone Tebet no cargo por um motivo simples: garantir dois postos de destaque no governo, já que Bezerra está na liderança.

Mais um. A sinalização a Alexandre Baldy (PP-GO) para o Ministério das Cidades ressuscitou as críticas ao espaço do DEM na Esplanada. É que, apesar de ser de outro partido, Baldy é próximo de Rodrigo Maia e foi avalizado por ele.

Não é bem assim. O entorno de Maia e o DEM diz que Baldy é uma escolha da classe política como um todo, porque foi eficiente em resolver problemas quando ocupou o cargo no governo de Michel Temer. Acham que o Centrão cria com as críticas uma “falácia” para exigir cargos.

SINAIS PARTICULARES.

GOVERNADORES
Wilson Lima (PSC-AM)

Kleber Sales

Meu pirão… Deputados da Comissão Externa da Câmara entregaram ofício a Onyx Lorenzoni e a Jair Bolsonaro pedindo que o governo dê prioridade aos brasileiros no atendimento hospitalar e na concessão de benefícios do Bolsa Família em cidades de Roraima.

…primeiro. O Estado tem recebido centenas de refugiados venezuelanos, que demandam assistência médica e social básicas. O documento é assinado por Nicoletti (PSL-RR), que coordenou a visita dos deputados, todos do PSL, entre eles Eduardo Bolsonaro.

CLICK. Na largada de seu mandato, Wilson Poit, novo superintendente do Sebrae-SP, se reuniu com Guilherme Afif, assessor especial do Ministério da Economia.

Deu ruim. Está enrolada a sucessão de Marcos Mendonça na presidência da Fundação Padre Anchieta, responsável pela TV Cultura, do Estado de São Paulo. Os nomes de uma primeira lista subiram no telhado, a começar por Luciano Cury (ex-Bandeirantes).

Deu ruim 2. Helena Bagnoli, ex-Abril, estava bem cotada, mas tucanos fizeram circular supostos posts dela pedindo votos para Márcio França (PSB) contra Doria e apoiando o movimento Lula Livre. Ricardo Scalamandré, ex-Globo, não deve aceitar o convite.

PRONTO, FALEI!

Deputado Augusto Coutinho. FOTO: CLEIA VIANA/CÂMARA DOS DEPUTADOS

Augusto Coutinho, líder do Solidariedade: “No Brasil, não se pensa institucionalmente. Querem o Coaf com o Moro porque é o Moro. Se fosse outro, não iriam querer”, sobre a MP da reestruturação.

COM REPORTAGEM DE JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao