Associação de juízes celebra manutenção de salários acima do teto

Associação de juízes celebra manutenção de salários acima do teto

Luiza Pollo

21 Dezembro 2017 | 05h30

O presidente da Ajufe, Roberto Veloso, enviou mensagem de fim de ano aos juízes federais do País comemorando o fato de, em 2017, não ter sido votado no Congresso o projeto que acaba com os supersalários e pela manutenção do auxílio-moradia, que custa mais de R$ 1 bilhão ao erário. A concessão do benefício é questionada no Supremo. Na mensagem, Veloso também celebra o adiamento da discussão da reforma da Previdência, que “traria grandes prejuízos aos juízes federais”, segundo ele, e convida os associados a se manifestarem contra a proposta em 2018.

Discurso. “Apesar de toda campanha para nos atingir financeiramente, não perdemos nada. O projeto do extrateto, que estava em vias de aprovação, não foi votado este ano”, escreveu na mensagem o presidente da Associação dos Juízes Federais (Ajufe). Ele enxerga nas iniciativas para reduzir os supersalários uma retaliação ao combate à corrupção.

Tem mais. Em outra mensagem aos juízes, o presidente da Ajufe confessa que busca “interlocutores” para pressionar o Supremo a manter o auxílio-moradia e apoiar outro benefício. O ministro Ricardo Lewandowski é associado à entidade.

Plano B. Caso o Supremo acabe com a verba de R$ 4,3 mil mensais, a Ajufe defende como alternativa a aprovação de adicional a título de valorização por tempo na magistratura e no MP.

Cabeça-preta. Ainda há resistências, mas no DEM cresce o grupo que defende a substituição do senador José Agripino na presidência do partido depois que ele se tornou réu. No lugar dele entraria o prefeito de Salvador, ACM Neto.

Hipóteses. Os nomes de Rodrigo Maia e Mendonça Filho também foram cogitados. A decisão sobre uma troca no comando do DEM, no entanto, depende de se encontrar uma saída honrosa para Agripino.

Ausente. Preso ontem, o deputado Paulo Maluf (PP-SP) faltou a 155 de 338 sessões de votação da Câmara desde que assumiu o mandato. Quando justificou, foi por motivos médicos. Neste ano, faltou a 67 sessões.

Presente. As ausências não impediram Maluf de gastar a verba indenizatória. De 2015 para cá, ele usou R$ 1,1 milhão.

SINAIS PARTICULARES: Paulo Maluf, deputado federal pelo PP-SP; por Kleber Sales

Propaganda. O Podemos vai ingressar no Supremo propondo a mudança nos critérios da distribuição do tempo de propaganda eleitoral na TV.

Zera o jogo. A proposta do senador Álvaro Dias, candidato do partido ao Planalto, é que o cálculo leve em conta o tamanho das bancadas de deputados após a janela partidária de março.

É pouco. A regra atual garante ao presidenciável um minuto e 11 segundos na TV, tempo calculado com base na bancada de 4 deputados eleitos pela sigla.

CLICK. Há quase um ano o espelho d’agua do Sendo está vazio. A decisão foi do primeiro secretário da Casa, José Pimentel (PT-CE), porque Brasília enfrenta racionamento de água. O local faz parte do conjunto arquitetônico da Praça dos Três Poderes — tombada pelo Unesco como patrimônio da Humanidade.

FOTO: Leonel Rocha

No limite. O deputado Marcus Pestana (PSDB-MG) apresentou projeto de decreto legislativo para suspender a reabertura do aeroporto da Pampulha (MG). Diz que tenta uma reunião com o ministro dos Transportes, Maurício Quintela, desde março. O ministério é controlado por Valdemar Costa Neto.

Ponto final! A Embraer Defesa e a Força Aérea anunciaram ontem que o novo cargueiro e reabastecedor KC-390 está, formalmente, no ponto certo para entrar em produção e operação. A notícia é boa e mantém o jato militar na cabeça da lista do mercado internacional.

Pra ontem. A FAB está pagando R$ 7,2 bilhões pelo desenvolvimento da aeronave e vai comprar 28 unidades. A primeira será entregue em 2018.

PRONTO, FALEI!

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

“Se a eleição fosse em 2019, os resultados da economia fariam Temer um bom candidato”, DO SENADOR ROMERO JUCÁ (PMDB-RR),  sobre as consequências eleitorais da recuperação da economia

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E LEONEL ROCHA. COLABORARAM RENATA AGOSTINI E ROBERTO GODOY

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão