Assim como Nordeste, Doria teme tratamento diferenciado por Bolsonaro

Assim como Nordeste, Doria teme tratamento diferenciado por Bolsonaro

Coluna do Estadão

13 de setembro de 2019 | 05h00

Jair Bolsonaro e João Doria em São Paulo, em março de 2019. FOTO: CAROLINA ANTUNES/PR

Não são apenas os governadores do Nordeste e da “esquerda” em geral que temem receber do Executivo federal um tratamento diferenciado (para pior) em repasses e convênios. Os ataques de Jair Bolsonaro a João Doria colocaram em alerta o Palácio dos Bandeirantes. Da parceria do governo paulista com o presidente dependem projetos fundamentais para São Paulo, como a Linha 6 do metrô, a ponte Santos-Guarujá e cursos de capacitação de jovens. Em alguns casos, como em obras da Hidrovia Tietê-Paraná, há ações de interesse do País.

Drible… Após o presidente ter subido o tom publicamente contra Doria, auxiliares do governador têm relatado certa animosidade crescente por parte de ministros de Bolsonaro e de autarquias federais contra projetos do Estado.

…na federação. A aposta de governadores do NE e de outros Estados não-alinhados automaticamente ao Planalto (como Espírito Santo e Rio Grande do Sul por exmplo) é de uma tentativa de ligação direta, por parte do Executivo federal, com os municípios na transferência de verbas.

CLICK. Luciano Huck com os governadores Eduardo Leite (PSDB-RS), Camilo Santana (PT-CE) e Paulo Câmara (PSB-PE) em evento sobre educação em Cingapura.

COLUNA DO ESTADÃO

Por… A equipe técnica do Ministério da Economia tem um esboço de simplificação tributária na manga, que unificaria PIS e Cofins. A turma não vai aguardar a substituição definitiva de Marcos Cintra na Receita para enviar a proposta para a análise de Paulo Guedes.

…partes. A avaliação desses técnicos: vale a pena enviar o texto ao Congresso mesmo que, posteriormente, a nova alíquota seja incorporada pelo IVA já em discussão na Comissão Especial da reforma.

SINAIS PARTICULARES.

Luiz Eduardo Ramos, ministro da Secretaria de Governo

Kleber Sales

No escurinho. Usando uma máxima bolsonarista, o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, diz que construção de base é igual a namoro e, neste momento, está na fase de “levar ao cinema”.

PRONTO, FALEI!

Randolfe Rodrigues. FOTO: ANDRE DUSEK/ESTADÃO

Randolfe Rodrigues, senador (Rede-AP): “Temos crises e uma economia para recuperar. Mas Ernesto Araújo foi aos EUA criticar Lacan e insistir que aquecimento global é conspiração marxista.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tendências: