Movimento pede que PGR denuncie Bolsonaro por crimes ao não combater pandemia

Movimento pede que PGR denuncie Bolsonaro por crimes ao não combater pandemia

Alberto Bombig

17 de janeiro de 2021 | 13h45

Foto: Presidência / Reprodução

O grupo 342Artes encabeça movimento da sociedade civil que protocolou robusta representação na Procuradoria-Geral da República pelo afastamento de Jair Bolsonaro na Presidência. A iniciativa ganhou a adesão de profissionais de saúde e do direito, de intelectuais e de artistas.

Na base da representação estão as dúvidas levantadas pelo presidente sobre a eficácia das vacinas, a imposição de obstáculos para a aquisição de insumos, o descontrole da pandemia e a situação crítica em Manaus. “Cumpre que seja oferecida denúncia, pelo procurador-geral da República ao Supremo Tribunal Federal, para que o representado (Jair Bolsonaro) seja processado criminalmente por crimes comuns”, afirma a peça encaminhada a Augusto Aras.

Os artistas pedem que Bolsonaro seja denunciado pelos crimes de perigo contra a vida ou saúde de outrem (art 132 do Código Penal); subtração, ocultação ou inutilização de material de salvamento (art 257); infração de medida sanitária preventiva (art 268); emprego irregular de verbas ou rendas públicas (art 315); e prevaricação (art 319).

A iniciativa é liderada Mari Stockler, Marina Dias, Marco Aurélio Carvalho, Paula Lavigne, Celso Curi e Carla Vidal. O 342Artes surgiu em 2017 para combater a censura no País.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.