Aprovação de Bolsonaro cai a 2% na opinião pública não militante após 7 de Setembro

Aprovação de Bolsonaro cai a 2% na opinião pública não militante após 7 de Setembro

Coluna do Estadão

17 de setembro de 2021 | 05h00

Foto: Paulo Lopes/AFP

Nos sete dias seguintes às manifestações de 7 de Setembro, a aprovação do presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais foi de 2% na opinião pública não militante. Considerando todos os dias de setembro até aqui, o índice é de 9,6%, de acordo com a .MAP, agência de análise de dados.

A reprovação quase total a Bolsonaro se dá numa semana em que a política esteve no centro dos debates das redes: foi responsável por 67% dos comentários nas redes sociais.

Fora das “bolhas” da direita à esquerda, porém, a opinião pública não militante concentra a sua participação em temas do dia-a-dia, com saúde mental sendo responsável por 12,5% de participação, impulsionada pelo Setembro Amarelo. Na sequência, o emprego (9%), educação à distância (7,4%) e diversidade (7,4%) dominaram os debates.

A polarização política concentrou 29,5% dos comentários no período entre aqueles que se identificam com a direita do espectro político. Esse público também participou do debate sobre a “Nota à Nação” de Bolsonaro (15,49%) e a paralisação dos caminhoneiros (9,59%). O grupo ainda se mobilizou contra o impeachment de Bolsonaro e fez ataques ao STF, à vacinação e à manifestação do último domingo, 12. O comportamento deste grupo é menos propositivo e de mais ataque.

Já na opinião pública de esquerda, o debate se concentrou especialmente em torno das manifestações, tanto de apoio quanto contra o governo. Os atos de 7 de Setembro foram os mais comentados (31,41%) no período, sem apoio, enquanto as manifestações do dia 12 representaram 13,87% das discussões, com apoio de apenas 20%. O MBL, um dos organizadores do ato do último domingo, foi o terceiro assunto mais comentado na última semana (10,91%) por esse público, também sem apoio.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.