Após quatro dias de ataque, Caixa ainda continua com bloqueio para sites de fora do banco

Após quatro dias de ataque, Caixa ainda continua com bloqueio para sites de fora do banco

.

Murilo Rodrigues Alves

16 de maio de 2017 | 17h15

Foto: Kacper Pempel/Reuters

Quatro dias após o início do ataque cibernético, o sistema da Caixa Econômica Federal continua fechado para evitar, com funcionamento parcial, apenas na rede corporativa. A restrição preventiva começou na sexta, após a deflagração do ataque global, que fez mais de 300 mil vítimas e até a tarde desta terça-feira não tinha sido restabelecida.

Com a medida, funcionários da Caixa ficaram impedidos de acessar, via rede do banco, sites de fora do banco e até mesmo receber e-mails e mensagens de computadores conectados por outra rede. Isso impede, por exemplo, que gerentes verifiquem o preço do valor do imóvel em um site externo para um financiamento à casa própria.

Procurada, a Caixa respondeu que realizou bloqueio preventivo de alguns serviços internos nos computadores do banco, para atualização de softwares de proteção, e que o acesso está sendo restabelecido gradualmente. Segundo o banco, nenhum serviço ao cliente foi afetado pelas medidas de proteção adotadas.

Outros órgãos do governo federal, que desligaram os computadores de maneira preventiva na sexta-feira, quando o ataque começou, informaram que já restabeleceram os sistemas. Encontram-se nesta situação o Ministério do Trabalho, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o Itamaraty e a Petrobras.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

Tudo o que sabemos sobre:

Ataque Cibernético

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.