Após hibernação, Bivar retoma negociações para mostrar que é candidato

Após hibernação, Bivar retoma negociações para mostrar que é candidato

Mariana Carneiro, Julia Lindner, Matheus Lara e Gustavo Côrtes

22 de maio de 2022 | 05h01

Após dias em hibernação, o presidenciável do União Brasil, Luciano Bivar, deu sinais de que sua campanha está de pé, apesar do ceticismo no meio político. Contratou marqueteiro e anunciou lançamento oficial para o dia 31. Nos dias em que esteve ausente – ele viajou aos EUA em abril e faltou a nove votações da Câmara nos últimos 30 dias -, Bivar costurava apoios em palanques estaduais, segundo aliados. Em São Paulo, destacou Antonio Rueda para afiançar a aliança com Rodrigo Garcia (PSDB). Caso não consiga fazer aparições com o tucano, avisou que pode lançar nome próprio, como fez no Rio, onde Anthony Garotinho representará a sigla, que também flerta com Cláudio Castro (PL).

Foto: Adriano Machado/REUTERS

DIA D. No mesmo dia em que MDB, PSDB e Cidadania debatiam entre Simone Tebet e João Doria, Bivar anunciou a deputados do União Brasil um time de potenciais ministros caso seja eleito. Luiz Henrique Mandetta prepara uma espécie de Fundeb (fundo que amplia os repasses da educação) para a saúde.

RECICLA. Bivar também quer reaproveitar o plano de governo feito para Sergio Moro quando ele pretendia concorrer à presidência pelo Podemos.

RISCOS. De acordo com aliados, a estratégia da campanha é buscar um tom pragmático, sem entrar em questões ideológicas. “O Bivar fala que já teve muitos mandatos, ele tem uma visão empresarial, é um homem que construiu uma história, que pode arriscar. Eu estou no meio do mandato (de senadora), então eu também estou para servir”, disse Soraya Thronicke, cotada a vice.

SINAIS PARTICULARES (por Kleber Sales). Luciano Bivar, presidenciável do União Brasil

PRONTO, FALEI. Vinicius Poit, deputado federal (NOVO-SP)

“A sinalização de privatização da Petrobras é boa. Uma pena que parece que foi enviada pelos Correios, porque está chegando bem atrasada.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.