Após entrevistas de Bolsonaro, PT recorre ao TSE para que emissoras deem espaço para Haddad

Após entrevistas de Bolsonaro, PT recorre ao TSE para que emissoras deem espaço para Haddad

Rafael Moraes Moura

29 de setembro de 2018 | 15h18

Foto: Rafael Arbex/Estadão

A coligação “O Povo Feliz de Novo” (PT/ PC do B/PROS) entrou neste sábado (29) com uma representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que a TV Bandeirantes e a rádio Jovem PAN concedam espaço para uma entrevista com o candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad.

Ao TSE, a coligação pede “igualdade de oportunidade” depois que os dois veículos de imprensa transmitiram nesta semana entrevistas com o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro.

O objetivo da representação é fazer com que a Bandeirantes a Jovem PAN entrevistem Haddad nos próximos dias, antes da realização do primeiro turno, marcado para o dia 7 de outubro.

Segundo a coligação, Bolsonaro teve direito a cerca de 26 minutos na rádio Jovem PAN e a 46 minutos de entrevista com o apresentador José Luiz Datena, na Band, totalizando “uma hora de entrevista em sinal aberto”.

“Ou seja, é claro privilégio dispendido ao candidato Jair Bolsonaro pelas emissoras representadas, criando uma profunda desproporcionalidade no pleito que se aproxima”, alega a coligação.

Os advogados da coligação encabeçada por Haddad ainda argumentam que, durante as entrevistas, Bolsonaro proferiu “diversas ofensas ao Partido dos Trabalhadores”, “além de promover diversas alusões que chegam a responsabilizar esta agremiação pelo atentado por ele promovido”.

“Portanto, a partir destas duas vertentes, é evidente que as entrevistas promovidas pelas representadas (Band e Jovem PAN) configuram tratamento privilegiado, o que deve ser imediatamente reparado por este Tribunal Superior Eleitoral”, sustenta a coligação “O Povo Feliz de Novo”.

Tudo o que sabemos sobre:

Fernando HaddadPTJair BolsonaroTSE

Tendências: