Após ameaças, Paulo Preto sinaliza que não fará delação

Após ameaças, Paulo Preto sinaliza que não fará delação

Luiza Pollo

26 de abril de 2017 | 05h30

Foto: Ed Ferreira/Estadão

Foto: Ed Ferreira/Estadão

O ex-diretor da Dersa Paulo Souza enviou mensagens de texto a pessoas próximas sinalizando que não fará delação. Paulo Preto, como é conhecido, foi acusado por sete delatores da Odebrecht de montar suposto esquema para favorecer empreiteiras em troca de dinheiro para campanhas tucanas. Nos textos, aponta incoerências dos seus acusadores em relação a datas e valores. Numa das mensagens, encerra dizendo: “Vou voltar a me expor na arena da vida, assim como agiu o gladiador”, citando personagem que lutou até a morte.

A decisão de Paulo Souza de recuar do radicalismo anterior, quando disse que não deixaria “pena sobre pena”, deve-se ao fato de ele não ser o alvo principal no tucanato nas delações da Odebrecht.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: