Apoiadores de Edmilson Coutinho são proibidos de aparecer em propaganda eleitoral em Belém

Apoiadores de Edmilson Coutinho são proibidos de aparecer em propaganda eleitoral em Belém

­

Coluna do Estadão

17 de outubro de 2016 | 15h14

Foto: Gustavo Lima/Câmara dos Deputados

Edmilson Rodrigues. Foto: Gustavo Lima/Câmara dos Deputados

Derrotados no primeiro turno da eleição municipal em Belém, Lélio Costa (PCdoB) e Úrsula Vidal (Rede) foram proibidos de aparecer no programa eleitoral do candidato a prefeito Edmilson Rodrigues (PSOL). A ação foi movida pelo oponente dele, Zenaldo Coutinho (PSDB), e deferida pelo Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) na última sexta-feira, 14.

Os programas de TV e rádio de Edmilson com a participação de Lélio e Úrsula foram retirados do ar. A decisão foi tomada pela juíza eleitoral da 29ª Zona Eleitoral Sandra Maria Ferreira Castelo Branco sob alegação de que foi ultrapassado o limite de 25% de participação de outros candidatos dentro do horário destinado a Edmilson Rodrigues, ferindo a Lei Eleitoral.

No texto, a juíza também afirma que “verifica-se a presença física da candidata Úrsula Vidal e de Lélio Costa, o que sem dúvida demonstra que aquela matéria veiculada está em desacordo com a nova regra imposta no parágrafo primeiro do art. 54 da lei n.º 9.504/97”. Segundo a lei eleitoral, no segundo turno é proibida a participação de filiados a partidos que tenham formalizado o apoio a outros candidatos no programa eleitoral.

Nas redes sociais, Lélio Costa afirmou que a campanha de Zenaldo Coutinho era pautada pela “baixaria”. O candidato Edmilson Rodrigues recorreu da decisão, mas seu pedido ainda deve ser analisado pelo TRE. (Mariana Diegas)

lelio costa

Lélio Costa critica campanha de Zenaldo Coutinho (PSDB) nas redes sociais

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.