Apesar de mutirões, PL perde mais filiados do que ganha desde chegada de Bolsonaro

Apesar de mutirões, PL perde mais filiados do que ganha desde chegada de Bolsonaro

Camila Turtelli e Matheus Lara

16 de março de 2022 | 05h00

Bolsonaro se filiou ao PL de Valdemar Costa Neto em novembro de 2021. Foto: Neto Sousa/Estadão.

Abrigo prioritário de parlamentares bolsonaristas para as disputas de 2022, o PL tem patinado na tentativa de ser o “novo PSL” em outro aspecto também tratado como meta por dirigentes que articularam a chegada do presidente Jair Bolsonaro à sigla: o aumento do número de filiados para além de quem já tem mandato. Enquanto, em 2018, três meses após a chegada de Bolsonaro, o PSL ganhou cerca de 14 mil novos adeptos, agora com o PL o efeito tem sido o contrário: a sigla tem perdido filiados mês a mês. Em novembro, quando o presidente se filiou, o partido comandado por Valdemar Costa Neto tinha 761.640 filiados, segundo o TSE. No mês passado, o total registrado foi de 761.415. O PL agora aposta suas fichas na possibilidade de que a entrada de parlamentares na atual janela partidária se traduza também em filiação de seus apoiadores.

ATÉ CANSAR. O PL tentar repetir o “case” do PSL e seu “17” em 2018, com orientações para que lideranças usem o número da sigla, 22, repetidamente.

É PASSADO. Na onda da chegada de Bolsonaro, o PSL conquistou antes da eleição quatro vezes mais filiados do que siglas rivais naquela disputa.

DEIXA QUIETO. O efeito da chegada de Sérgio Moro ao Podemos também pouco influenciou na atração de novos filiados à sigla. De novembro pra cá, o número total de adeptos caiu de 407.975 para 407.817.

EU, HEIN. Recém-filiada ao PL, Carla Zambelli (SP) disse que um dos motivos de ter decidido não ir para o PP foi que Guilherme Mussi, presidente estadual da sigla, parecia irredutível em apoiar Rodrigo Garcia (PSDB), e não Tarcísio de Freitas (PL), para governador.

PRESSÃO. Organizações de trabalhadores da saúde pública pressionam o Congresso exigindo a derrubada do veto presidencial que impede a licença compulsória sobre as patentes para vacinas, diagnósticos e novos medicamentos para a covid-19. O veto está na pauta de quinta-feira da sessão conjunta do Congresso.

PRESSÃO 2. Nesta quarta-feira deve ser divulgado um documento da Internacional dos Serviços Públicos (ISP), assinado por mais de 20 organizações, como CUT, Confederação dos Trabalhadores da Seguridade Social, Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde, Federação Nacional dos Enfermeiros e Enfermeiras, Federação Nacional dos Farmacêuticos, protestando contra a falta de medicamentos para covid-19 no SUS.

CLICK. Michel Temer, ex-presidente da República

Em Brasília, emedebista deu as caras em evento do PL de filiação do deputado distrital Roosevelt Vilela, com lideranças como Flávia Arruda e Ibaneis Rocha.

FOLIA. Assim que o governador do Distrito Federal, Ibanes Rocha (MDB), subiu ao palco no evento de filiação de novos quadros do PL, uma banda começou a tocar marchinhas de Carnaval. Ironicamente, o governador fez duras medidas de restrições aos foliões em Brasília.

CLICK. José Luiz Datena, apresentador de TV

Em São Paulo, Datena selou acordo com João Doria (PSDB) para apoiar Rodrigo Garcia (PSDB) ao governo e ser o nome da chapa para o Senado.

DEPOIS… Quatro deputados estaduais de São Paulo vão apresentar hoje um relatório sobre reuniões técnicas que tiveram no âmbito da CPI dos Benefícios Fiscais mesmo após a comissão não ter tido quórum mínimo em nenhuma das oito reuniões convocadas.

…DO… Opositores de João Doria acusaram a base do governo de boicotar a CPI. Aliados do governador sinalizaram que a comissão tinha como único objetivo desgastar a gestão tucana antes da eleição.

…VÁCUO. O grupo de opositores de Doria reúne parlamentares de esquerda a bolsonaristas: Paulo Fiorilo (PT), Caio Fança (PSB), Castello Branco (PL) e Edmir Chedid (União Brasil). “Não aceitamos o boicote”, disse Fiorilo.

PAPO. A vereadora paulistana Janaína Lima (sem partido) e o movimento Vem Pra Rua promovem nesta quarta, 16, num restaurante em São Paulo, uma conversa com Deltan Dallagnol (Podemos), ex-procurador da Lava Jato e pré-candidato a deputado federal, sobre eleições para o Legislativo.

MAR. Os planos elaborados pelo Estado de São Paulo para organizar o espaço marinho do litoral Sul, Centro e Norte foi reconhecido como exemplo pela Unesco. Os documentos foram conduzidos pela Fundação Florestal, com representantes do governo, atores setoriais, pesquisadores e sociedade civil. O instrumento é importante porque institui diretrizes na utilização dos recursos naturais do território marinho, assegurando a saúde do ecossistema marinho e costeiro do litoral paulista.

PACOTÃO. O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e os deputados federais Tabata Amaral (PSB-SP) e Felipe Rigoni (PSL-ES), do chamado Gabinete Compartilhado, apresentam o Pacote Anticorrupção, um conjunto de 14 projetos que contemplam diversas áreas do combate à corrupção – incluindo a inovadora criminalização do sextortion, também conhecido como suborno sexual.

COLABOROU MARLLA SABINO

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.