Apesar de falta de tomadas e lanchonetes caras, aeroportos têm melhor avaliação da série histórica

Apesar de falta de tomadas e lanchonetes caras, aeroportos têm melhor avaliação da série histórica

Juliana Braga

07 de novembro de 2019 | 08h00

No 3º trimestre de 2019, os aeroportos brasileiros receberam a maior nota da série histórica da “Pesquisa de Satisfação do Passageiro e Desempenho Aeroportuário”, à qual a Coluna teve acesso com exclusividade. Para 91% dos 25 mil passageiros ouvidos, os terminais são bons ou muito bons.

A avaliação é feita desde 2013 pela Secretaria Nacional de Aviação Civil do Ministério da Infraestrutura. Entre julho e setembro, os 20 principais terminais do País tiveram nota média de 4,42, numa escala de 1 a 5, na qual 1 é “muito ruim” e 5, “muito bom”. Em relação ao mesmo período do ano passado, a avaliação melhorou em 13,7%.

Apesar da boa avaliação geral, alguns pontos ainda não agradam os passageiros. O quesito com pior nota foi o de “facilidades aos passageiros”, que leva em consideração estacionamento, lanchonetes, tomadas. A nota foi 3,56.

Foto: Evelson de Freitas/Estadão

O indicador “qualidade de internet/wi-fi” teve a melhor nota histórica, mas ainda está aquém da meta, 3,75%. O mesmo aconteceu com “custo-benefício das lanchonetes e restaurantes” (2,96) e “custo benefício dos produtos comerciais” (3,24%).

A pesquisa leva em conta 38 indicadores.  Desses, 79% (30) ficaram acima de 4, a meta estabelecida pela Comissão Nacional de Autoridades Portuárias (Conaero).

Os órgãos públicos que funcionam nos aeroportos integram o quesito mais bem avaliado. São levados em consideração pontos como o tempo de espera nas filas de aduana, migração e imigração, além da cordialidade dos funcionários.

Ranking

Na percepção de técnicos envolvidos na pesquisa, o bom desempenho é resultado das primeiras concessões de terminais. A expectativa é de que nas próximas, as notas continuem melhorando. O aeroporto de Salvador, por exemplo, está em obras, com previsão de conclusão para dezembro. O de Vitória foi concedido recentemente e deve receber investimentos em breve; Curitiba, Manaus e Goiânia serão concedidos no ano que vem.

Os aeroportos que registraram maiores melhoras foram Florianópolis, Belém e Fortaleza. Já os de Salvador, Belo Horizonte e Natal tiveram as maiores pioras. Na sequência, vêm Guarulhos (SP), com piora de 1,1% e Galeão (RJ), com queda de 0,4%. Por terem um fluxo muito alto de passageiros, ambos são mais sensíveis a quaisquer intervenções.

Já os terminais de Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ) tiveram o maior percentual de passageiros com check-ins feitos exclusivamente pela internet, viajando somente com bagagem de mão – 70% e 65%, respectivamente.

Confira abaixo o ranking dos aeroportos:

Satisfação geral dos passageiros, por aeroporto (notas de 1 a 5)
Pesquisa de Satisfação do Passageiro e de Desempenho Aeroportuário – 3º trimestre 2019

Campinas – 4,77
Curitiba – 4,75
Vitória – 4,65
Maceió – 4,56
Confins – 4,55
Goiânia – 4,54
Manaus – 4,53
Brasília – 4,47
Santos Dumont (Rio) – 4,44
Galeão (Rio) – 4,43
Fortaleza – 4,41
Congonhas (São Paulo) – 4,36
Porto Alegre – 4,35
Recife – 4,34
Guarulhos (São Paulo) – 4,34
Natal – 4,33
Cuiabá – 4,27
Belém – 4,23
Florianópolis – 4,17
Salvador – 4,12

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.