Apesar da carta branca, PL-SP resiste ao projeto eleitoral de Bolsonaro

Apesar da carta branca, PL-SP resiste ao projeto eleitoral de Bolsonaro

Coluna do Estadão

23 de novembro de 2021 | 02h30

Rodrigo Garcia, vice-governador de São Paulo: apoio do PL paulista para disputar o Bandeirantes (FOTO: Alex Silva/Estadão)

Deputados, dirigentes e prefeitos do PL-SP avisaram a Valdemar Costa Neto que haverá debandada no Estado se Jair Bolsonaro, uma vez no partido, cismar em lançar Tarcísio Gomes de Freitas ou qualquer outro nome de seu agrado ao Bandeirantes. Apesar da “carta branca” que Costa Neto diz ter dos diretórios, o recado foi claro: Eduardo Bolsonaro terá tapete vermelho; Ricardo Salles como candidato ao Senado também é um arranjo aceitável, mas, daí para cima, seria bom o presidente “engolir” Rodrigo Garcia, agora oficializado pré-candidato do PSDB ao governo. O vice de João Doria é o padroeiro, digamos assim, do bom momento do PL no Estado, inclusive com espaço na máquina pública.

MAIS UM. O PP, outro pilar do Centrão, vive situação parecida: sem nome ao Bandeirantes, está dividido entre Garcia e Geraldo Alckmin, de saída do PSDB. Há ainda quem defenda seguir Bolsonaro, caso ele queira lançar candidato próprio. O Progressistas tem quatro federais eleitos por São Paulo.

ESPERA AÍ.  A bancada paulista do PP tinha reunião agendada nesta semana para decidir seu futuro, mas o presidente estadual Guilherme Mussi adiou o encontro enquanto acompanha a confusão no PSDB.

EM ALTA. Enquanto o couro come nas prévias do PSDB, Rodrigo Garcia, aliás, se firma como nova liderança do partido. Foi ele quem ajudou a baixar a bola na tensa reunião do domingo, 21, em que aliados de Doria ameaçaram acionar a Polícia Federal para investigar as falhas no tal aplicativo se as prévias ficassem para 2022.

EU, NÃO. Aécio Neves disse à Coluna que em nenhum momento sabotou as prévias de seu PSDB, como afirmam adversários dele no processo, ou seja, o grupo de João Doria.

EU, NÃO 2. “O fato é que Eduardo Leite seria o vitorioso se a eleição tivesse ocorrido e, em Minas Gerais, onde 97% dos prefeitos, vices e vereadores foram cadastrados, ele teria tido mais de 90% dos votos. Sabotar a própria vitória? Não me parece fazer sentido”, afirma Aécio, apoiador do gaúcho.

SINAIS PARTICULARES (por Kleber Sales), Bruno Araújo, presidente nacional do PSDB

MAIS JOGO. Com ou sem sabotagem, segue o jogo da consulta interna. É justamente isso que está infernizando o grupo de João Doria. Há um questionamento nos bastidores: como Bruno Araújo justificará os gastos do Fundo Partidário se as prévias fizerem água? Números extraoficiais giram em torno de R$ 1,4 milhão só com o aplicativo que não funciona.

POLÍTICAS… Líderes do Congresso se reúnem nesta terça-feira, 23, para debater vetos de Jair Bolsonaro. Entre os itens a serem analisados está o projeto de distribuição gratuita de absorventes para as estudantes de baixa renda e para a população vulnerável.

…PÚBLICAS. A pressão da bancada feminina da Câmara pela derrubada da decisão presidencial deve ser intensa. Bolsonaro vetou a medida no início de outubro último.

PRONTO, FALEI! Eduardo Jorge (PV)

“Lula continua fugindo de qualquer crítica aos regimes autoritários/ditatoriais de seus amigos em Cuba, Nicarágua e Venezuela”, sobre entrevista do petista ao jornal El País.

 

CLICK. Ciro Gomes, presidenciável do PDT

O pré-candidato lançou novo vídeo nas redes com duras críticas à Petrobras: “Vão ser contra o povo e contra o Brasil assim lá na profundeza do inferno”.

Com reportagem de Alberto Bombig e Camila Turtelli.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.