Anvisa libera lote de achocolatado que matou criança envenenada no MT

Adulteração da bebida foi isolada e proposital, motivando a agência a suspender a ação cautelar

Coluna do Estadão

02 de setembro de 2016 | 16h05

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vai suspender a proibição de um lote do achocolatado Itaimbezinho, que havia sido interditado após uma criança morrer, no Mato Grosso, por ingerir o produto com veneno.

A decisão será publicada no Diário Oficial da União de segunda-feira, dia 5. O lote M4 da bebida láctea fabricada pela Itambé Alimentos S/A volta a ser comercializado em todo o território nacional.

A Anvisa havia suspendido o achocolatado em razão do princípio da precaução, até que se averiguassem as circunstâncias da morte de um menino de dois anos. Como a perícia concluiu que foi uma adulteração isolada e proposital, e não uma contaminação decorrente da fabricação, a agência vai liberar o lote.

Dois homens foram presos suspeitos de envolvimento no crime. Havia defensivos agrícolas na bebida, inseridos por meio de um orifício do diâmetro de uma agulha. (Luísa Martins)

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.