Ânimo na reunião sobre caminhoneiros esquenta e pode acabar sem trégua

Ânimo na reunião sobre caminhoneiros esquenta e pode acabar sem trégua

Naira Trindade

24 Maio 2018 | 15h38

Mais uma rodada de negociações no Palácio do Planalto em busca de uma alternativa para acabar com a greve dos caminhoneiros pode acabar sem a esperada trégua.  O presidente da Associação dos Caminhoneiros, Abcam, José da Fonseca Lopes, acaba de gritar que não aceita o acordo e abandonar a reunião com os ministros Carlos Marun (Governo), Eliseu Padilha (Casa Civil), Valter Casimiro (Transportes) e general Etchegoyen (GSI). Enquanto outros permaneceram na negociação.

O governo está garantindo 30% do transporte da Conab para cooperativas de caminhoneiros; liberação da cobrança do terceiro eixo suspenso nos pedágios de todo o País; prometendo que a política de aumento/revisão de preços não será mais diária (no mínimo, quinzenal); e confirmando a redução inicial de 10% do preço do diesel pela Petrobrás. Do grupo de parlamentares que participavam das discussões, só cinco deputados ficaram em Brasília para ajudar nas conciliações: Osmar Terra, Valdir Colatto, Marcelo Squassoni, Assis do Couto e Alfredo Kaefer. (Naira Trindade)