Aloysio Nunes defende trégua humanitária com Venezuela para combate à covid-19

Aloysio Nunes defende trégua humanitária com Venezuela para combate à covid-19

Coluna do Estadão

31 de agosto de 2020 | 05h00

 

Foto: Dida Sampaio/Estadão

O pedido do governo da Venezuela por uma trégua nas “profundas diferenças políticas e ideológicas” com o Brasil em prol de uma coordenação conjunta de ações de combate à covid-19 é “absolutamente razoável” e deveria ser acatado pelo governo Bolsonaro. A opinião é de Aloysio Nunes Ferreira, chanceler de Michel Temer. “O vírus não é chavista ou bolsonarista”, disse à Coluna. Para ele, caso o Brasil negue ou até mesmo não responda à proposta, o País vai “se apequenar” no cenário internacional por ignorar um pedido de ajuda humanitária.

Foco. Nunes diz que a Venezuela pode ajudar o Brasil no rastreamento da disseminação do coronavírus, principalmente na fronteira entre os dois países.

Pilar. Na conversa com a Coluna, o ex-chanceler lembrou que a Constituição brasileira determina a prevalência dos direitos humanos nas relações do Brasil com os demais países e atores internacionais.

Trâmite. De acordo com o Itamaraty, a carta com o pedido, assinada pelo ministro das Relações Exteriores venezuelano, Jorge Arreaza, e enviada em 7 de agosto, está em análise pela área técnica do ministério.

Plano B. Nunes, no entanto, afirma que, caso o Itamaraty não responda ao pedido de trégua humanitária ou o negue, caberá às instituições científicas e da sociedade civil estabelecer relações com a Venezuela no combate à covid-19.

CLICK. O deputado Eduardo Bismarck (PDT-CE) aproveitou o domingo em Brasília para registrar a florada dos ipês-amarelos em uma volta de bicicleta pela cidade.

Reprodução/Instagram

Baby… Passado o verão europeu, o Conselho da Amazônia retoma nesta semana as negociações com a Alemanha e a Noruega para reativar os repasses para o Fundo Amazônia.

…steps. Sem pressa, claro, porque os estrangeiros ainda precisam de números concretos e positivos sobre as queimadas, o que, por enquanto, não ocorre.

Ainda… Com a fritura de Paulo Guedes, o único núcleo que esteve com Jair Bolsonaro na campanha e permanece firme ao lado dele até agora é o militar.

…em linha. Segundo auxiliares, o general Augusto Heleno é o “último dos moicanos” da safra de 2018 com prestígio em alta junto ao presidente da República.

SINAIS PARTICULARES.
Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional

Ilustração: Kleber Sales

Saudade. Cada vez mais insatisfeitos com o estilo centralizador de Davi Alcolumbre, um grupo significativo de senadores têm aumentado a pressão para retomar os trabalhos presenciais na Casa na última quinzena de setembro.

Como. Os senadores pretendem se reunir nesta semana para elaborar uma proposta de votação mista (presencial e virtual) a ser aplicada na volta aos trabalhos no Congresso.

Aviso. Quinze ex-secretários da Justiça e da Defesa da Cidadania enviaram ao presidente da Alesp Cauê Macris uma carta em que manifestam extrema preocupação com a possível extinção da Fundação Itesp.

Jeitos. O grupo acha o fim da entidade um retrocesso para políticas de desenvolvimento e cidadania e diz ser possível reduzir o orçamento da Fundação sem extingui-la.

Assim não. O plano de modernização já existe, mas a Fundação Itesp e a Secretaria da Justiça ainda não foram ouvidas antes do envio do projeto de extinção de autarquias estaduais.

BOMBOU NAS REDES!

Janaina Paschoal Foto: Clayton de Souza/Estadão

Janaina Paschoal, deputada estadual (PSL-SP): “O Estadão publicou frase de Luciano Huck, referente à situação do Rio de Janeiro. Seria interessante ele refletir sobre concorrer a governador do Estado.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. COLABOROU ELIANE CANTANHÊDE.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: