Bolsonaristas querem que presidente evite conflitos com potenciais aliados

Bolsonaristas querem que presidente evite conflitos com potenciais aliados

Mariana Carneiro, Julia Lindner e Gustavo Côrtes

28 de maio de 2022 | 05h01

Pessoas próximas a Jair Bolsonaro tentam convencer o presidente a evitar conflitos em Estados onde poderá ter aliados em um eventual 2º turno. Um dos focos de atenção está em Goiás, onde bolsonaristas abriram guerra contra o governador Ronaldo Caiado (União). Nas pesquisas de intenção de voto, ele aparece em primeiro, bem na frente do bolsonarista Major Vitor Hugo (PL). Ainda assim, Bolsonaro vem se empenhando por Vitor Hugo. Primeiro, tentou emplacá-lo na vice-presidência da Câmara, e ontem esteve no Estado ao seu lado. Há um mês, em um evento com Bolsonaro, aliados de Vitor Hugo organizaram uma vaia contra Caiado, e Bolsonaro também não o poupou: disse que o governador “colhe o que planta”.

Governador de Goiás, Ronaldo Caiado. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

EX-INIMIGOS. Caiado e Bolsonaro romperam durante a pandemia, quando o governador baixou medidas para frear o avanço da Covid, como o fechamento do comércio, e criticou o presidente por minimizar a gravidade da doença. Depois, voltaram a se falar. O União Brasil, partido de Caiado, tem como presidenciável Luciano Bivar.

Ainda assim, Caiado não descarta retomar o diálogo com Bolsonaro. Aliados dizem que o presidente não está em condições de recusar palanques competitivos nos Estados e acreditam que, mesmo indiretamente, o governador já está associado ao bolsonarismo. Por isso, creem ao menos numa trégua.

Apoiador de Bolsonaro, o deputado José Mario Schreider (MDB-GO), presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás, diz apoiar Caiado, não Vitor Hugo. “Caiado sempre representou o agro”, diz.

PRONTO, FALEI. Tábata Amaral (PSB), deputada federal por São Paulo.

“É inadmissível uma Virada Cultural baseada na exploração das pessoas mais vulneráveis de São Paulo. A população de rua precisa ter seus direitos respeitados.”

CLICK. Cristiane Britto, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos.

Tirou selfie com parlamentares do Rio em voo ao interior do Estado, onde entregou veículo para conselho tutelar e se encontrou com prefeitos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.