Aliados querem Doria mais ‘povão’ em 2020

Aliados querem Doria mais ‘povão’ em 2020

Coluna do Estadão

02 de janeiro de 2020 | 05h00

TIAGO QUEIROZ / ESTADÃO

Apesar de aliados de João Doria avaliarem que 2019 terminou com saldo positivo para o governador de São Paulo na caminhada rumo a 2022, observam que ele precisa de um contato mais direto com o “povão”, especialmente no Nordeste. Assim como, exemplificam, vem fazendo o apresentador Luciano Huck. No balanço final do ano, contudo, interlocutores acham que Doria tem conseguido se descolar de Jair Bolsonaro sem grandes traumas e começa a se consolidar como alternativa de centro-direita à polarização do presidente com o PT de Lula.

Jogo… Não se trata apenas de uma questão de “agenda”, dizem esses observadores, quase todos de fora de São Paulo, mas de “sensibilidade” no trato com os possíveis eleitores.

…de cintura. Doria, a exemplo de seus antecessores tucanos no cargo de governador (Geraldo Alckmin e José Serra) ainda é considerado “paulista demais” no contato com o povo: ou seja, um tanto reservado.

Boca fechada. Doria também tem sido aconselhado a não responder ao clã Bolsonaro em 2020. O contraponto será feito naturalmente pela diferença de estilos, dizem os aliados.

Estica… O imbróglio político em torno da reforma da Ponte dos Barreiros, em São Vicente (SP), foi nacionalizado. A prefeitura da cidade, aliada a Márcio França (PSB), conseguiu recursos do governo federal para a obra que até recentemente dizia ser de responsabilidade de João Doria.

…e puxa. Para o Planalto, ajudar França, que disputou o segundo turno com Doria, é, indiretamente, fustigar um adversário.

SINAIS PARTICULARES.
Sérgio Moro, ministro da Justiça

Kleber Sales

Personagens… A relação de Sergio Moro com Jair Bolsonaro foi de altos e baixos ao longo do ano passado. Em setembro, o ministro da Justiça enfrentou seu momento mais difícil, sob pressão do presidente e do Congresso com as mudanças na Polícia Federal.

…de 2019. Naquela altura, políticos diziam que o ex-juiz estava prestar a “montar no porco”, expressão usada nas regiões Sul e Sudeste para se referir a alguém que, contrariado ao extremo, vai embora com pressa, em cima no animal.

Calma… O último na fila para receber emendas em 2019 foi… o PSL. Governistas atribuem a isso a confusão na liderança e a dificuldade de centralizar os acordos com um único líder.  A ordem do Palácio e de Eduardo Bolsonaro, que ocupa o cargo até o momento, é de pagar emendas a todos.

… que tá vindo. Joice Hasselmann chegou a cobrar explicações do Planalto. Ainda assim, segundo relatos, muitos ainda não tiveram emendas executadas.

CLICK. Nem todo mundo folgou na véspera do novo ano. Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Ronaldo Caiado, governador de Goiás, se reuniram no Planalto no dia 31.

Coluna do Estadão

Nebuloso. O cenário no MEC anda tão incerto que até o nome de Benedito Guimarães, reitor do Mackenzie e o mais provável para assumir a Capes, começou a circular para uma eventual sucessão de Abraham Weintraub na pasta.

De boa? O ministro da Educação, aliás, ainda está em um cruzeiro com a família na América do Norte.

PRONTO, FALEI!

Wilson Dias/Agência Brasil

Nino Oliveira Toldo, desembargador do TRF-3: “O Judiciário continuará sendo provocado e no centro das atenções em 2020. Só espero só que as discussões não sejam travadas a níveis futebolísticos”.

COM REPORTAGEM DE MARIANNA HOLANDA (INTERINA)  E MARIANA HAUBERT. COLABOROU RENATA CAFARDO.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.