Aliados de Maia agem para evitar derrota

Aliados de Maia agem para evitar derrota

Coluna do Estadão

14 Dezembro 2018 | 05h00

FOTO: ANDRE DUSEK/ESTADAO

Apoiadores da candidatura de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à presidência da Câmara iniciaram movimento para limpar o caminho e evitar que ele seja atropelado por seus oponentes. O PRB, do adversário João Campos (GO), bateu martelo e não vai mais lançá-lo à disputa. Optou por Maia. Da bancada evangélica, Campos está entre os nomes que Jair Bolsonaro sugeriu que pode apoiar. Paralelamente a isso, o grupo de Maia vai atacar outro candidato: o vice-presidente da Câmara, Fabio Ramalho (MDB), que será tachado de “novo Severino Cavalcanti”.

Lembra dele? Rei do baixo clero, Severino Cavalcanti venceu a eleição para o comando da Câmara em 2005, desbancando o candidato do governo. Nove meses depois, renunciou após ser flagrado no escândalo que ficou conhecido como mensalinho da Câmara.

Feliz… Rodrigo Maia chegou ao jantar de fim de ano do DEM ontem em ritmo de comemoração. Minutos antes, disse ter fechado acordo com 15 partidos em torno da sua reeleição.

…da vida. Aliados dizem que Maia costurou o apoio do PSDB, DEM, PP, MDB, PSD, PR, PDT, PSB, PCdoB, PRB, Solidariedade, PTB, PSC, PPS e PHS. A aliança, contudo, não garante o voto fechado das bancadas.

O propósito. A indicação de Floriano Barbosa para a Secretaria de Comunicação reduz a influência de Carlos Bolsonaro na área. Barbosa é ligado a outro filho do presidente eleito, o deputado Eduardo Bolsonaro.

Climão. Futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni não foi ao jantar de confraternização do DEM, mas se encontrou com ACM Neto na base aérea. Dos três futuros ministros da legenda, só Luiz Mandetta (Saúde) participou.

Você por aqui? Onyx acompanhava Bolsonaro na viagem a São Paulo e Neto pegava carona na aeronave do ministro da Educação, Rossieli Soares. A relação do futuro ministro com o seu partido está fria.

SINAIS PARTICULARES — A SÉRIE

OS NOVOS MINISTROS

 

Onyx Lorenzoni, da Casa Civil; por Kleber Sales

Sem susto. O cateterismo a que Dilma Rousseff se submeteu já estava programado. Exames de rotina mostraram uma via obstruída e a equipe do Sírio-Libanês a convenceu a se tratar.

Corre! Líderes no Congresso ameaçam derrubar o veto do presidente Michel Temer caso ele não envie na próxima semana nova redação que vai criar a Autoridade Nacional de Proteção de Dados, vetada na Lei de Proteção de Dados.

Vai ou racha. Sem o órgão de fiscalização, a lei não tem eficácia.

Ops. A vaga, que não deve passar por sabatina no Senado, está disputada. Laura, filha do ministro Gilmar Mendes, está entre os cotados para a cadeira. Ela fez doutorado na Alemanha.

CLICK. Em encontro em Brasília, o senador eleito Major Olímpio convidou Datena a se filiar ao PSL e disputar a Prefeitura de São Paulo, em 2020. “Ele é imbatível”, diz.

Para-raios. Depois de o Coaf identificar movimentação atípica de um ex-assessor de Flávio Bolsonaro, um grupo de deputados iniciou estudos para barrar a vinculação do órgão ao Ministério da Justiça. Acham que, se o Coaf ficar nas mãos de Sérgio Moro, a fila de enrolados será grande.

Sem chances. A Constituição garante ao presidente da República, porém, a mudança de órgão dentro da administração pública por meio de decreto. Ou seja, pode ser feita sem a necessidade de autorização do Congresso Nacional.

PRONTO, FALEI!

Foto: Cleia Viana /Câmara dos Deputados

“É evidente que existe fraude e deve se trabalhar com essa hipótese. Ainda assim, tem que aprovar a reforma da Previdência”, DO FUTURO SECRETÁRIO DA PREVIDÊNCIA, ROGÉRIO MARINHO, sobre Bolsonaro dizer que 70% do déficit da previdência está relacionado a fraudes.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E JULIANA BRAGA. COLABOROU CAMILA TURTELLI

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

 

Mais conteúdo sobre:

maiaPresidênciaACMNETOPEREIRAONYX