Aliados de Cunha veem precedente favorável em votação do impeachment

Aliados de Cunha veem precedente favorável em votação do impeachment

­

Coluna do Estadão

31 de agosto de 2016 | 15h23

Eduardo Cunha (PMDB-RJ) | Dida Sampaio/Estadão

Eduardo Cunha (PMDB-RJ) | Dida Sampaio/Estadão

Aliados do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) comemoraram a sessão de votação do impeachment de Dilma Rousseff por entenderem que o entendimento adotado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, abre precedente favorável ao ex-presidente da Câmara.

“Ao dizer que o plenário delibera sobre proposições que podem ser destacadas, Lewandowski abre precedente para que a Câmara vote um projeto de resolução e não o parecer pela cassação de Eduardo”, avaliou um aliado reservadamente.

Se o plenário da Câmara analisar um projeto de resolução, é possível apresentar emenda que proponha pena mais branda, como uma suspensão temporária, livrando Cunha da cassação.

Aliados de Cunha já pretendiam levar o projeto de resolução a votação, como mostrou a Coluna do Estadão, mas, inicialmente, precisavam que o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), assumisse o desgaste para preterir o parecer do Conselho de Ética. Agora, com o precedente, esse desgaste fica minimizado.

A votação está marcada para o próximo dia 12. (Daniel Carvalho)

Tudo o que sabemos sobre:

Cunha

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.