Aliado de Cunha diz que está triste com prisão

Deputado Carlos Marun (PMDB-MS) ficou ao lado de ex-presidente da Câmara durante o processo de cassação.

Marcelo de Moraes

19 de outubro de 2016 | 18h19

O deputado Carlos Marun (PMDB-MS), aliado fiel do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, afirmou que a notícia da prisão do ex-deputado o “entristece”.

Em nota oficial, Marun afirma não negar que a notícia o “surpreendeu”. “Até porque estava correndo o prazo concedido para apresentação da defesa”.

Marun disse falou pessoalmente com Cunha pela última vez em 13 de setembro de 2016, “um dia após sua cassação”. Disse que não tem “planos de visitá-lo nos próximos dias”. “Mas é provável que eu o faça em dias vindouros, se isto for permitido”.

Para o deputado, entretanto, o episódio não deve ser superdimensionado “a fim de que não se obstrua a janela de esperança que abrimos para o Brasil ao depor constitucionalmente o governo corrupto e incompetente que nos aprisionava”, disse, se referindo, sem citar nomes a ex-presidente Dilma Rousseff.

Mais conteúdo sobre:

Eduardo Cunha