AGU cobra R$ 5 bilhões da empreiteira Camargo Corrêa

­

Coluna do Estadão

14 de outubro de 2016 | 23h01

grace mendonça

A Advocacia-Geral da União (AGU) ajuizou ação de improbidade administrativa cobrando cerca de R$ 5 bilhões da Camargo Corrêa e de alguns de seus executivos por causa do esquema de cartel, superfaturamento e corrupção na Petrobrás.

A nova ação tramita na 11ª Vara Federal, em Curitiba, desde a semana passada. Com ela, o governo agora já requer na Justiça R$ 28 bilhões de construtoras investigadas na Lava Jato. Entre elas, estão Mendes Júnior, Odebrecht, Andrade Gutierrez, Queiroz Galvão, Engevix e UTC. Ainda não houve decisão a respeito.

Na esfera criminal, os executivos da Camargo Corrêa fizeram acordo de delação premiada com a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba e confessaram diversos crimes para se livrar de punições. Além disso, a empresa firmou acordos com o Ministério Público Federal (MPF) e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), por meio dos quais se comprometeu a pagar R$ 804 milhões.

A AGU não se pronunciou. O Estado não localizou representantes da Camargo Corrêa. (Fabio Fabrini)

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao