Governo determina a técnicos ‘lei do silêncio’

Governo determina a técnicos ‘lei do silêncio’

Coluna do Estadão

08 de janeiro de 2019 | 05h00

Foto: Wilton Junior/Estadão

Técnicos do segundo escalão recém-chegados ao Palácio do Planalto estão sendo orientados a não manter conversas individuais com jornalistas a fim de evitar desencontro de informações sobre propostas do governo. A ordem começou a ser repassada pelos chefes aos seus subordinados após Jair Bolsonaro ter sido desmentido na semana passada sobre a possibilidade do aumento do IOF, de nova tabela do Imposto de Renda e a proposta de idade mínima para a aposentadoria. Erros na comunicação do governo expõe diretamente o presidente.

Taokey? Na conversa com o candidato à presidência da Câmara Fábio Ramalho (MDB-MG) ontem, Jair Bolsonaro disse que sua prioridade é a votação da reforma da Previdência, a pauta da segurança pública e o aumento da validade da carteira de motorista de cinco para dez anos.

Unidos venceremos. A estratégia para vencer Rodrigo Maia é lançar o máximo de candidatos possível. Nesta semana, Arthur Lira (PP-AL) entra na disputa oficialmente. PP e MDB combinaram que, no segundo turno, é todo mundo contra Rodrigo Maia (DEM-RJ), que tem o apoio do PSL, sigla de Bolsonaro.

É guerra. A disputa não ficará restrita à vaga de presidente. Para cada candidato da chapa de Rodrigo Maia na Mesa Diretora, haverá outro concorrendo. A oposição ao demista vai tentar minar a composição formada por ele para comandar a Casa de 2019 a 2020.

Os guardiões. Além do ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Paulo Guedes também tem de se preocupar com outra pedra no seu caminho. O ministro Bruno Dantas é o novo responsável no TCU por passar o pente-fino em parte dos atos da sua gestão, incluindo Caixa e BB.

Sem conversinha. Sérgio Moro (Justiça) terá no seu encalço o ministro substituto Augusto Sherman Cavalcanti, considerado pelos colegas um dos mais inflexíveis do TCU.

Chegou chegando. O senador eleito Cid Gomes costura um acordo para ocupar a Comissão de Constituição e Justiça no Senado. O posto é uma das principais cadeiras da Casa.

SINAIS PARTICULARES – OS HOMENS DE GUEDES 

Valdery Rodrigues Jr., secretário da Fazenda; por Kleber Sales

Time. A delegada Fernanda Costa Oliveira será a subsecretária de Governança e Integridade, setor criado pelo novo ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, para o combate à corrupção na pasta.

Credencial. Fernanda é considerada pelos colegas uma das principais delegadas da PF em Brasília. Ela tocou operações como a Janus, que investigou tráfico de influência envolvendo Lula, a Odebrecht e o BNDES. E a Panateico, que prendeu Tadeu Filipelli, quando ele era assessor especial de Michel Temer.

CLICK. Segundo filho do presidente Jair Bolsonaro e considerado o “pitbull do pai”, Carlos tem sido assediado por fãs por onde circula em Brasília e posa para fotos.

 

Instagram/Carlos Bolsonaro

Vida real. Apesar das 20 vagas postas à disposição por Sérgio Moro em presídios federais ao governo do Ceará, não houve até o momento nenhuma transferência. A única recém-autorizada foi pedida em dezembro, antes da crise. É necessário aval da Justiça Federal.

Ligado. Ao receber um telefonema de Mike Pompeo com relato sobre a posse de Bolsonaro, o presidente Donald Trump disse que estava acompanhando a cerimônia pela TV.

BOMBOU NAS REDES! 

“A violência contra mulheres é inaceitável. Uma pessoa sentir-se dona do corpo da outra a ponto de violentá-la é loucura que precisa ser enfrentada”, DA PRESIDENTE DA REDE, MARINA SILVA. 

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E JULIANA BRAGA. COLABORARAM LU AIKO OTTA, BRENO PIRES E ELIANE CANTANHÊDE

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao