Janela partidária deve mudar 10% da Câmara

Janela partidária deve mudar 10% da Câmara

Luiza Pollo

23 Dezembro 2017 | 05h30

Foto: Dida Sampaio/Estadão

A janela partidária, que vai permitir a parlamentares trocar de partido em março, deve alterar de forma significativa a composição das bancadas na Câmara dos Deputados. A avaliação de líderes é que cerca de 50 deputados vão trocar de sigla, 10% da Casa Legislativa. O PMDB admite que deve perder oito nomes, mas está na expectativa de ganhar até dez. DEM, PP, PSD e PR têm prometido recursos dos fundos eleitoral e partidário como atrativo, além de tempo de TV na eleição de 2018, algo precioso com a redução da campanha de 90 para 45 dias.

Carta na manga. Os partidos que não vão lançar nome próprio ao Planalto levam vantagem na disputa por deputados porque poderão concentrar os recursos do Fundo Eleitoral na reeleição dos parlamentares. Com mais verba, fica mais fácil atrair novas adesões.

Leva tudo. Uma eventual candidatura do ministro Henrique Meirelles ao Planalto prejudica o plano de crescimento do PSD. A sigla teria de usar boa parte dos recursos do fundo com a campanha dele.

Bolo. O plano do PSD é aumentar a bancada na Câmara. Motivo: 95% dos recursos do Fundo Partidário são distribuídos conforme a proporção dos votos obtidos na última eleição para a Casa Legislativa.

Reserva. Apesar de ter descartado disputar o Palácio do Planalto, Luciano Huck voltou às rodas políticas como opção caso a candidatura do tucano Geraldo Alckmin não decole. No dia 10, Huck ofereceu jantar para seu “grupo político”, com a presença de Armínio Fraga e Marcos Lisboa.

SINAIS PARTICULARES: Geraldo Alckmin, governador de São Paulo; por Kleber Sales

Banho de sol. Um mês antes de ser mandado à prisão pelo ministro Edson Fachin, do Supremo, o deputado Paulo Maluf (PP-SP) se hospedou no hotel Gran Marquise, em frente à praia de Meireles, em Fortaleza. Ele passou dois dias no hotel no início de novembro.

Cinco estrelas. Entre os ilustres hóspedes que já ficaram no Gran Marquise estão o ex-presidente americano Bill Clinton e a cantora colombiana Shakira. O preço médio dos quartos varia de R$ 544 (quarto superior) a R$ 12.155 (suíte presidencial).

Pedido. Ao pedir a suspensão da prisão à presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, a defesa de Maluf sustentou que o deputado tem “avançadíssima idade” e estado de saúde frágil, passando por tratamento para cuidar de hérnia de disco em estágio grave, “com limitação severa de mobilidade”.

Com a palavra. O criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, que defende Maluf, disse que seu cliente “esta no cárcere e obviamente não tem acesso a telefone. Se tivesse eu não perguntaria a ele pois considero desimportante frente a gravidade do momento dele”.

Tô chegando. O ministro Dias Toffoli já tem planos para dinamizar o Supremo Tribunal Federal (STF) a partir de setembro do ano que vem, quando sucederá à ministra Cármen Lúcia no comando da Corte.

STF.com. Toffoli quer aumentar a utilização do plenário virtual da Corte, plataforma digital onde os ministros se manifestam sobre alguns casos. Uma das ideias é levar ações que contestam normas estaduais, desafogando o plenário “real” e evitando longos debates.

CLICK. O espírito natalino chegou ao ministro das Cidades, Alexandre Baldy (GO), que presenteou os servidores da pasta com panetone e cartão de boas-festas.

 

Foto: Coluna do Estadão

Feliz Natal! O governador de Sergipe, Jackson Barreto, decidiu exonerar 2,2 mil cargos comissionados para conter gastos.

Na própria pele. O peemedebista determinou que o próprio salário, de R$ 30,4 mil brutos, só caia na sua conta depois que for regularizado o pagamento atrasado de aposentados.

Com licença. No café da manhã de Michel Temer com a imprensa, a primeira-dama Marcela interrompeu o marido para desejar boas-festas aos repórteres.

PRONTO, FALEI!

FOTO: Câmara

“O jeito é gastar sola de sapato e língua”, DO DEPUTADO CACÁ LEÃO (PP-BA),  sobre a proibição de doações empresariais na campanha eleitoral de 2018 e o “pouco” recurso do fundo eleitoral.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE, LEONEL ROCHA E RAFAEL MORAES MOURA. COLABOROU AMANDA PUPO 

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão