Planalto troca contrato por voto na Previdência

Planalto troca contrato por voto na Previdência

Luiza Pollo

22 Dezembro 2017 | 05h30

SINAIS PARTICULARES: Carlos Marun, ministro da Secretaria de Governo; por Kleber Sales

 

Novo ministro da articulação política, Carlos Marun adotou o estilo trator para conseguir adesão de deputados à reforma da Previdência. Ele levantou todos os pedidos de empréstimos protocolados na Caixa por Estados, capitais e outras grandes cidades e condicionou a assinatura dos contratos à entrega de votos pelos governadores e prefeitos, que exercem influência sobre os parlamentares. O primeiro a sofrer pressão foi o governador de Sergipe, Jackson Barreto (PMDB), que deixou o Planalto na última quarta-feira reclamando.

A lei é para todos. O governador de Sergipe disse à Coluna que saiu chocado da reunião. “Marun me falou que há vários contratos com a Caixa, mas o governo só vai liberar após a votação da reforma. Achei uma coisa fora de propósito. Me deixou frustrado”, disse.

Pressa. Sergipe tenta um empréstimo de R$ 560 milhões com a Caixa para a recuperação de rodovias. Se o dinheiro sair só em fevereiro, após a votação da reforma, vai coincidir com o início das chuvas no Nordeste, em março, o que inviabiliza as obras.

Marun por Marun. Carlos Marun tem se definido como um “político Coca-Cola”, que causa reação nas pessoas. É o contrário do “político Coca diet”, que “não engorda e não incomoda”. Sobre o toma lá dá cá, não ligou de volta.

Eu já sabia. Um integrante do alto escalão do governo federal diz que não foi surpresa a informação do Wall Street Journal sobre as negociações entre a Embraer  e a Boeing. Diz que as tratativas já estavam em andamento há alguns meses.

Te esperando na janela. O deputado Major Olímpio vai trocar o Solidariedade pelo Podemos para se candidatar ao governo de São Paulo. Vai reforçar o palanque do presidenciável Álvaro Dias (PR) no Estado. O deputado Marco Feliciano também vai trocar o PSC pela sigla.

Grão em grão. O prefeito de São Paulo, João Doria, termina o ano contabilizando R$ 677 milhões de investimentos privados no município sem contrapartida. O réveillon na Paulista será patrocinado pela CEF e pela Sabesp, que vão investir R$ 3 milhões na festa que reúne 1,2 milhão de pessoas.

Avisa lá. O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, avisou antes o colega Dias Toffoli que mandaria para a primeira instância o inquérito contra o deputado federal Rogério Marinho.

Em paz. “Vejo com naturalidade. Há uma maioria formada (para restringir o foro)”, afirmou Toffoli, sobre Barroso não ter esperado ele devolver o processo para julgamento.

CLICK. Três anos antes de ir para o regime fechado, Paulo Maluf (PP-SP) publicou mensagem no aplicativo Instagram em que afirmou: “Bandido bom é bandido preso!”

FOTO: Instagram/Paulo Maluf

Sub judice. A intenção do presidente do PMDB, Romero Jucá, de intervir no diretório do partido em Pernambuco esbarra em decisão liminar que há três meses interrompeu a primeira tentativa de troca do comando da legenda.

Tem de esperar. A intervenção só poderá ocorrer após o julgamento do mérito da ação. O grupo do deputado Jarbas Vasconcelos não aceita entregar a presidência do PMDB ao senador Fernando Bezerra Coelho, que deixou o PSB recentemente.

BOMBOU NA REDE!

Foto: Dida Sampaio/Estadão

“Parece que o Bono vem acompanhar o julgamento de Lula. Bom seria se viesse o Mick Jagger”, DA DEPUTADA CRISTIANE BRASIL (PTB-RJ), sobre a fama de pé-frio do vocalista do Rolling Stones.

COM NAIRA TRINDADE, LEONEL ROCHA E RAFAEL MORAES MOURA

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão