1.426 municípios sem reserva para a 2ª dose da vacina

1.426 municípios sem reserva para a 2ª dose da vacina

Coluna do Estadão

16 de abril de 2021 | 05h00

Foto: Victoria Jones/AFP

Apesar das orientações de especialistas e do Ministério da Saúde sobre o estoque de doses para a segunda aplicação, há hoje ao menos 1.426 cidades sem guardar vacinas, segundo pesquisa da Confederação Nacional dos Municípios (CNM). O levantamento mostra ainda que praticamente todas teriam estrutura e condições para aumentar a vacinação, caso fosse possível. O cenário de escassez em abril fez com que a Saúde mudasse o entendimento, orientando prefeitos a garantirem reserva de vacinas para a segunda dose. Sem isso, perde-se a imunização.

By the book. Os outros 1.449 municípios que responderam à pesquisa disseram ter feito a reserva.

Cadê? Mais de 1.500 prefeitos se queixaram de que os frascos recebidos não têm rendido as 10 aplicações como o previsto. Refutaram ainda a hipótese de que talvez fosse falha na extração do líquido.

Melhorou. A CNM mostra também que houve redução no risco de falta de oxigênio nos hospitais. Na semana passada, 589 municípios relataram esse temor, e agora ele caiu para 391.

Para lembrar. O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta e seus ex-secretários Wanderson Oliveira e João Gabbardo fazem hoje live para marcar um ano de suas demissões da pasta, às 17h, mesmo horário em que anunciaram a saída coletiva do ministério.

CLICK. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga (à dir.), esteve com o procurador-geral da República, Augusto Aras, para tratar de pandemia, especialmente a vacinação.

Reprodução/Instagram

LEIA TAMBÉM: Comando Militar não convida Doria para cerimônia com presença de Bolsonaro

Fome de quê? O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e o senador Ciro Nogueira (PP-PI) tiveram em São Paulo jantar com banqueiros. No cardápio, orçamento e Paulo Guedes.

Debaixo… O ex-ministro Eduardo Pazuello, alvo n.º 1 da CPI da Covid no Senado, deve ganhar, nos próximos dias, cargo próximo a Bolsonaro no Planalto.

SINAIS PARTICULARES.
Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde

Ilustração: Kleber Sales

…do tapete. O governo buscava onde encaixar o general. Pazuello é o maior temor de assessores palacianos na comissão: acham que é a senha para os senadores irem atrás do presidente.

Vai… O pedido de Bolsonaro ao presidente dos EUA, Joe Biden, por ajuda financeira no combate ao desmatamento foi mal recebido por diplomatas e parlamentares ouvidos reservadamente pela Coluna.

…colar? Lembram que o governo brasileiro teve acesso a recursos de fundos ambientais, como o da Amazônia (R$ 2,9 bilhões), que acabou travado e está sem uso.

Carta. Apesar disso, foi bem recebida a intenção de Bolsonaro de acabar com o desmatamento. O problema é que, até agora, não passa disso: uma intenção.

Reforço 1. A sanção da lei que libera a contratação de pessoal pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) durante a pandemia deve viabilizar o preenchimento de 1.660 vagas em todo o País, sendo 533 de médicos em 88 especialidades, 998 da área assistencial em 53 especialidades e 129 da área administrativa.

Reforço 2.  A contratação, no entanto, será feita de acordo com a demanda dos hospitais universitários. Autor do projeto de lei, o senador Wellington Fagundes (PL-MT), esteve com o presidente da Ebserh, Oswaldo de Jesus Ferreira, para tratar da questão.

PRONTO, FALEI! 

Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Rodrigo de Castro, líder do PSDB na Câmara: “A decisão do STF (sobre Lula) reforça a necessidade dos partidos de centro construírem uma candidatura viável para que o eleitor possa optar por uma via diferente dos extremos radicais, que pacifique o país e que valorize o diálogo na construção de um Brasil melhor.”

COM REPORTAGEM DE MARIANNA HOLANDA (INTERINA) E MARIANA HAUBERT. COLABOROU ELIANE CANTANHÊDE. O COLUNISTA ALBERTO BOMBIG ESTÁ EM FÉRIAS E RETORNA DIA 19 DE ABRIL.

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tudo o que sabemos sobre:

Ministério da Saúdecoronavíruscovid-19

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.