Vou ficar pelado para conquistar seu voto

Gilberto Amendola

20 de setembro de 2012 | 22h51

Ficar pelado em cima da mesa e improvisar um discurso.

Não fiz isso.

Ainda.

Mas esse foi o conselho que recebi de um especialista em oratória e linguagem corporal. “Cada um tem uma técnica diferente. Mas tem gente que experimenta ficar sem roupa em cima da mesa e sair falando sozinho. Por quê? Porque quando essa pessoa estiver em uma situação real de discurso, vai se sentir mais seguro”.

Em período eleitoral, a oferta de cursos de oratória e teatro para candidatos a vereador pipocam na internet. Embora não tenha verba pra nada, liguei para alguns desses cursos para saber do que se tratava.

Além de ficar pelado, eu posso, por exemplo, me inspirar em vossa santidade, o papa Bento XVI. “Veja o papa! Quando ele fala, as mãos dele estão sempre espalmadas para o alto. Elas ficam abertas para puxar os fluídos do céu. Se você usa suas mãos de forma errada, você acaba afastando o eleitorado”, disse um especialista.

Outra dica para melhorar minha expressão corporal, segundo um profissional da área, seria assistir a novela Avenida Brasil – mas assistir sem nenhum som. “Vale a pena prestar atenção nas expressões da personagem Carminha. Repare como o corpo dela comunica tudo”, diz, sem se dar conta que a personagem vilã e sem escrúpulo da Adriane Esteves não é um bom exemplo para um aspirante a vereador.

Em um dos telefonemas, um professor de teatro (que ministra um curso de interpretação para amadores), disse que seria bom eu frequentar suas aulas porque eu precisava “liberar tudo o que estava dentro de mim”. Tive medo, recuei. Na mesma ligação, o professor aconselhou-me a diminuir o ritmo da minha fala. “Você é muito rápido, parece um trator. Assim, o eleitor não vai te entender com clareza”, afirmou.

O valor dos cursos varia bastante. Me ofereceram pacotes de R$ 500 ou de R$ 1 mil. Segundo os especialistas, eu precisaria de pelo menos 4 aulas. Em um curso mais informal, consegui barganhar uma aula particular por R$ 150. Ao informar que só possuía R$ 100 para investir nesta capacitação, percebi um certo desânimo nos meus interlocutores.

Para não ficar de mãos abanando, duas escolas de oratória me ofereceram opções. Em uma delas, eu poderia entrar no Grupon (site de compra coletiva) e adquirir 1 mês de curso (4 aulas) por R$ 99, 90. Na outra, eu poderia pagar R$ 100 por uma aula via Skype (à distância). Desencanei, prefiro treinar sozinho e na frente do espelho.

Vestido.

Tudo o que sabemos sobre:

acidentalcandidatonovelanuoratoriapelado

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.