‘Já viu político pobre, filho?’

Gilberto Amendola

29 de agosto de 2012 | 16h22

Eu sei, a Mega Sena está acumulada em R$ 22 milhões. Só que a minha obsessão de apostador é na Lotofácil.

Sei lá, deve ser porque me deixo levar pelo nome.

Mas enfim, como faço em dias de Lotofácil, fui fazer a minha fezinha  numa lotérica perto de casa.

Quando estava aguardando minha vez  na fila do caixa, uma senhora me cutucou:

– Posso te fazer uma pergunta?

– Claro.

–  Acho  que te vi no Horário Político.

– É… sou eu mesmo.

Rindo, a senhora me desejou boa sorte.

– Depois de eleito você não vai mais precisar jogar na loteria, filho.

Entendi a provocação, mas aticei:

– Por quê?

– Já viu político pobre?

Ainda simpática, a senhora pediu o meu número de candidato.

Não dei – e me vi obrigado a explicar porque ela não deveria votar em mim.

Sinceramente, não sei se ela entendeu. Mas, sorrindo, recomendou que eu continuasse tentando a sorte na loteria.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.