As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O Lab JUCESP de Inovação e o fomento ao empreendedorismo

Humberto Dantas

13 de maio de 2021 | 09h53

Autores do texto:

Ademar Bueno é Administrador pela FGV, Mestre em Ciências da Saúde pela Medicina Santa Casa, Master em Liderança e Gestão Pública pelo Centro de Liderança Pública (CLP) e Vice-presidente da Junta Comercial de São Paulo – JUCESP

Walter Ihoshi é Administrador pela FGV, Presidente da Junta Comercial de São Paulo – Jucesp, Vice Presidente da Associação Comercial de São Paulo

No texto, os autores citam a Junta Comercial do Estado de São Paulo como um case de destaque no setor empreendedor, que vem se adaptando às ferramentas necessárias desde o início da pandemia de Covid-19. Leia:

A pandemia do Coronavírus impôs a nós de maneira repentina desafios que nos obrigaram a repensar todas as formas de relacionamento, gestão e administração. E como acontecem em todas as situações de crise, expuseram os limites da previsibilidade de nossos conhecimentos, modelos e teorias. A crise da Covid-19 escancarou disfunções, desequilíbrios e escassezes de recursos em diversos setores da sociedade. E a economia, setor vital para qualquer governo, foi um dos mais eminentes setores a amargar os efeitos colaterais desta crise.

Porém, em meio ao cenário negativo, encontrou-se no empreendedorismo o caminho promissor no enfrentamento, pois, como gerador de emprego e renda é uma das portas de saída para essa crise socioeconômica que vivemos.

Como peça essencial nas relações mercantis no país, a Junta Comercial do Estado de São Paulo, se tornou um case de destaque, pois a pandemia fez com a entidade se torna-se resiliente para compreender as relações interativas estabelecidas entre humanos e tecnologia e adaptasse as ferramentas necessárias a fim de fomentar o empreendedorismo.

Ações como a implementação da plataforma do Balcão Único, onde simplificou seis etapas no processo de constituição de uma empresa para apenas uma, reunindo as esferas federal, estadual e municipal em um único lugar, a atualização do VRE Digital também para baixas e alterações contratuais de empresas, além de aberturas já permitidas anteriormente e o sistema de entrega de livros mercantis de forma digital são alguns destes mecanismos desenvolvidos ofertados à sociedade para acessar meios que ajudasse a administrar os negócios.

Sabe-se que organizações resilientes caracterizam-se não só pela competência de preparação para as crises, mas pela alta capacidade de compreensão do contexto, pois desenvolvem capacidades dinâmicas de construção e inovação de seus repertórios e recursos. Devido a isso, a JUCESP, além das medidas já geradas, vai criar um Laboratório de Inovação para lidar com esta nova cultura e preparar seus colaboradores através de eventos e cursos. E para o público externo, ampliar e implementar novos produtos e processos digitais para melhor atender a necessidade dos empreendedores.

Devemos aprender com esses tempos a olhar com sensibilidade a necessidade do coletivo e desenvolver ações que contribuam para a retomada do desenvolvimento econômico e social para o bem da saúde e bem-estar de todos nós brasileiros. Aliar a tecnologia ao caminho do empreendedorismo é, além de impor celeridade no percurso, tornando-o moderno, leve e disruptivo para facilitar o ambiente de negócios, acreditar que estamos trabalhando para colocar a nossa economia nos trilhos aspirando por dias melhores.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.