As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A nova forma de comunicação pública

Renata de Araújo Rodrigues Wanderley é servidora pública efetiva, ocupante do cargo de Gestor Governamental. Atualmente é Diretora Administrativa Financeira da Empresa de Turismo de Pernambuco Governador Eduardo Campos – EMPETUR S/A.

30 de junho de 2021 | 15h00

O cenário mundial atual traz consigo uma série de mudanças que afetam tanto a realidade cotidiana das pessoas quanto das organizações, especialmente seus processos de comunicação. A pandemia Covid-19 provocada pelo novo Coronavírus alterou as práticas de comunicação estratégica, uma vez que o mundo passou a interagir com intensidade em plataformas digitais e grande parte da população migrou de um ambiente de trabalho formal para o home office, o que exigiu das organizações novas formas de conexão com seus públicos, através de uma comunicação mais espontânea, mais informal. A conectividade digital passou a ser utilizada também para fortalecer as relações humanas, favorecer conexões e mediar a comunicação, permitindo maior facilidade no estabelecimento de relacionamentos e de informação, principalmente por meio das redes sociais, como Facebook, Twitter, Youtube e Instagram. Assim, cada vez mais presentes, essas redes estão sendo utilizadas em larga escala e assumindo grande importância política e social.

Com o surgimento da comunicação on-line, cada vez mais as pessoas estão participando do processo de comunicação para além das mídias tradicionais e off-line. As pessoas não mais são passivas em relação às informações que lhes são fornecidas, mas também geram informações e as multiplicam. Esse novo comportamento abre espaço para a criação de uma nova forma de comunicação pública, um novo espaço público de debate, uma via de comunicação direta entre os usuários dos serviços públicos.

As redes sociais deixaram de ser apenas uma forma de se relacionar, tornou-se uma fonte de informação, um espaço para divulgar ações, e também fonte de oportunidades, de acesso às informações de utilidade pública, um espaço de interlocução e de transparência pública. Sites de redes sociais começam a fazer parte da administração pública, em usos que vão além de divulgação e marketing de ações, mas também melhorando o atendimento ao cidadão.

Os canais de comunicação foram ampliados para aproximar o cidadão do Estado, permanecendo o sentido de transmitir informações, de informar sobre os serviços prestados e as formas de acesso aos serviços públicos e controle social dos atos administrativos; mas agora se sobressaindo através de uma comunicação transversal, de interação, gerando um ambiente mútuo de troca de informações, um espaço democrático, onde o usuário passa a consumir aquele conteúdo, praticar, opinar, criticar e compartilhar não apenas informações, mas também experiências na utilização dos serviços públicos e de seu aparato.

Exemplo disso, é a interação e o alcance que as instituições públicas voltadas para a promoção do turismo atingiram por meio das redes sociais. Os perfis turísticos são uma das principais formas de atrair o novo visitante para conhecer o destino através do compartilhamento e engajamento dos seguidores.

O Instagram, por exemplo, por ter como principal característica o compartilhamento de fotografias, é um dos principais instrumentos para a atividade turística, visto que as fotos movimentam o imaginário de quem visualiza, gerando o desejo de ir ao local e tirar aquela foto perfeita para a rede social. Percebendo esse comportamento, os destinos turísticos começam a criar seus próprios perfis para engajar a audiência, com fotos e vídeos que mostram a localidade.

Em Pernambuco, o perfil @descubrapernambuco no Instagram estabeleceu um canal direto de marketing voltado para o público que frequenta essa rede, compartilhando conteúdo sobre os pontos turísticos dos diversos municípios que compõem o estado e construindo relações com os usuários que podem através do canal interagir, tirar dúvidas, questionar, dar sugestões e mandar conteúdo, ajudando a aproximar o consumidor, ou usuário, do serviço público, de seu produto.

Com o surgimento de novos tipos de mídia, a globalização e a mudança do comportamento dos consumidores, a comunicação pública também precisou rever as estratégias utilizadas. Diante disto, percebe-se que a presença digital de instituições públicas nesse meio se tornou um dever para quem quer se comunicar e fortalecer um público que acompanha suas ações. O Instagram, por exemplo, é elemento fundamental na comunicação e promoção de um destino turístico pela Secretaria de Turismo em Pernambuco.

Assim, o ambiente digital provocou mudanças na forma do setor público se comunicar. E aproveitar o que esse ambiente pode oferecer deve ser precedido do conhecimento de seus públicos ou a quem se quer comunicar, e da importância da comunicação e suas aplicações visando identificar os desafios e as possibilidades para o aprimoramento da comunicação na gestão pública com foco no usuário. Os ganhos são imensos. Modernização do serviço público, aproximação e integração com o usuário e agilidade nas respostas dos serviços prestados à população.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.