Vulnerabilidade de bancos às fraudes é inadmissível

Marcelo Moreira

25 Maio 2010 | 03h24

São cada vez mais comuns os casos de fraude com documentos diversos em várias cidades do País. Entretanto, o que choca é a vulnerabilidade e total falta de controle de empresas quando enfrentam situações como a que é narrada por leitor abaixo. Não é admissível que o Bradesco, um dos maiores bancos do mundo, cometa erros tão graves e grosseiros em rlação à segurança de dados e de procedimentos.

” Em dezembro de 2008, fui assaltado em Salvador e levaram todos os meus documentos. Quase um ano depois, descobri que o Bradesco permitiu que fossem criados quatro cartões de crédito em meu nome na Bahia. Entrei em contato com o banco várias vezes e, em todas elas, os atendentes se mostraram despreparados e me demonstraram não saber o que fazer para resolver a questão.”

 Fábio Eduardo de Oliveira Pisciotti,  São Paulo

RESPOSTA DO BRADESCO: Informamos que mantivemos contato com o cliente para esclarecimento do assunto. Agradecemos a oportunidade de prestar estes esclarecimentos e permanecemos à disposição.

 COMENTÁRIO DA REDAÇÃO:  O problema não foi solucionado. O leitor diz que está desesperado.

COMENTÁRIOS DO ADVOGADO DE DEFESA: A resposta burocrática e padrão do Bradesco é um desserviço e um acinte ao Código de Defesa do Consumidor (CDC), pois este tem como pilar o dever do fornecedor de bem informar e orientar o cliente quando este se dirige à instituição para resolver um problema.

Afinal, tendo sido mal atendido em seus contatos com a instituição financeira (como descreve o cliente), este era o momento do Bradesco informar sobre os direitos e deveres que envolvem a reclamação. Até mesmo para orientar outras pessoas que tenha o mesmo tipo de problema com o banco.

Dessa forma, abandonado à sorte, resta ao consumidor ir ao Juizado Especial Cível e processar o banco para cancelar as contratações feitas por terceiros. E o banco deve pagar indenização por dano moral ao consumidor, em razão dos apontamentos desabonadores que ele sofreu resultante da falha na prestação do serviço pelo Bradesco, que permitiu a ação criminosa de quem se valeu dos dados pessoais do senhor Fábio.

Mais conteúdo sobre:

Bradescofraude