Viajar em pé entre cidades não dá!

Marcelo Moreira

24 de abril de 2009 | 23h10

Quem viaja de ônibus pelo Brasil sabe o que é sofrer com estradas péssias, ônibus velhos e sujos. Mas viajar de pé não dá! Leia o relato do leitor Eduardo Yamamoto, de São Paulo:

“Efetuei a compra de duas passagens para viajar pela empresa Danúbio Azul. No caminho, fizemos várias paradas e, em cada uma delas, mais pessoas entravam no ônibus. Muitos tiveram que viajar em pé, o que achei muito perigoso.”

REPOSTA DA DANÚBIO AZUL: Informamos que sempre procuramos melhorar a qualidade de nossos equipamentos e serviços para melhor atendimento de seus usuários. O senhor Eduardo já havia enviado e-mail e nós respondemos no mesmo dia, dizendo que iríamos apurar as informações e tomar as devidas providências. Informamos também, que disponibilizamos ao cliente uma passagem cortesia pelos transtornos que causamos.

COMENTÁRIO DO ADVOGADO DE DEFESA: A viagem com passageiros em pé, principalmente em grande quantidade, não só atenta contra normas de segurança dos passageiros, como torna a viagem um serviço impróprio para o consumo, o que dá direito não somente à devolução do valor pago, mas a danos morais, pois levar empurrões, apertos e sucos derramados na roupa são transtornos que ultrapassam o que é perdoável.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.