Veja as regras da portabilidade para os planos de saúde

Marcelo Moreira

27 de abril de 2009 | 19h51

  • O fim da carência: a portabilidade permite, desde o dia 15, trocar de plano sem ter restrições de atendimento

  • Quem se beneficia: usuários de planos individuais e assinados a partir de 1º de janeiro de 1999 com as mensalidades em dia. São cerca de 15% (6 milhões) do total de usuários de planos no País

  • Para conseguir a portabilidade: o plano de origem e aquele em que o usuário quer ingressar devem ter a mesma classificação (definida pela ANS) e mesma faixa de preço

  • Tempo de permanência: o consumidor precisa ter completado
    ao menos dois anos no plano de origem para poder realizar a troca

  • Data para mudar: a migração pode ser feita apenas o mês de aniversário do plano ou no mês seguinte

  • Para migrar: é necessário consultar o Guia de Planos de Saúde no site da ANS (www.ans.gov.br), verificar os planos, selecionar o novo, entrar em contato com a operadora escolhida e solicitar a proposta de adesão

  • O que apresentar: cópia dos três últimos boletos pagos e de documento que comprove a permanência de dois anos no plano de origem

  • Quanto tempo demora: a nova operadora tem até 20 dias para responder à sua solicitação. Se a resposta não vier a tempo, significa que você está automaticamente aceito no novo plano, diz a resolução da ANS

  • Comentários

    Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.