Veículos, os campeões de recall

Marcelo Moreira

09 de maio de 2011 | 08h13

Saulo Luz

Os veículos – automóveis, motocicletas e caminhões – são os produtos mais convocados para recall no Brasil desde 2002, representando 77,14% do total de chamados. É isso o que aponta o banco de dados de recalls que a Fundação Procon-SP acaba de lançar em comemoração ao aniversário de 35 anos do órgão.

Recall é a palavra em inglês que designa a convocação de consumidores devido a falhas de fabricação que ameacem a segurança dos clientes.

Desde 2002 foram realizados um total de 433 chamados de recalls no Brasil, sendo que os veículos foram responsáveis por 334 convocações, envolvendo mais de 5,5 milhões de consumidores.

Um deles é o representante comercial Célio Cordeiro Caldi, de 47 anos. Ele atendeu a um recall da Volkswagen para trocar o motor de seu Fox 2009. “O problema foi resolvido. Mas não recebi nenhuma convocação para atender ao recall. Só descobriu o recall porque o veículo começou a apresentar um barulho diferente do normal e procurei a concessionária.”

Na opinião de Ricardo Morishita Wada, advogado especializado em direitos do consumidor e ex-diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça, a divulgação dos recalls pelas montadoras é insuficiente.

“Na hora da venda a comunicação das empresas é fantástica. Mas na hora de comunicar sobre os riscos à segurança do consumidor, elas tem um desempenho muito fraco”, diz o advogado.

Para ele, a falta de divulgação e informação é a raiz da baixa adesão dos consumidores aos recalls. Em processo de convocação desde 2001, por exemplo, só 60% dos usuários do Ford Explorer atenderam ao chamado.

Para ampliar a participação, entrou em vigor em março deste ano uma portaria do Ministério da Justiça e do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) que determina que, quem não atender aos recalls, será avisado no Registro Nacional de Veículos (Renavam).

Freios

Dos 334 recalls realizados no setor automotivo, desde 2002, 68 (20,36%) foram relativos ao sistema de freios. Em seguida aparece o sistema elétrico-eletrônico, com 16,77%, e o sistema de combustível, com 11,38%. No ranking do Procon, tanto as dez empresas que mais fizeram recall quanto os dez produtos mais convocados são veículos. Empatados na liderança, com oito convocações, estão Citroën C3, Celta (Chevrolet), XC60 e XC90 (ambos da Volvo).

Outros produtos

Logo após os veículos automotivos, os produtos para a saúde (medicamentos, seringas e etc) se destacam nos recalls – ocupando a segunda posição na quantidade de convocações (33), mas a liderando no total de pessoas afetadas (quase 49 milhões).

Na terceira colocação, os produtos infantis sofreram 20 chamados de recalls e afetaram mais de 1 milhão de pessoas – a boneca Polly Pronta num Click (da Mattel) foi o mais convocado nessa categoria (com duas chamadas).

Em quarto, os produtos de informática passaram por 18 recalls (liderados pelo notebook Dell Inspiron 510M (com 4 convocações).

Tendências: