Unimed é condenada por diagnóstico errado

Marcelo Moreira

16 de setembro de 2009 | 22h23

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul condenou a Unimed-Porto Alegre a indenizar a família de paciente que morreu em decorrência da demora na detecção de câncer (condrossarcoma). O plano terá de pagar 250 salários mínimos corrigidos, mais despesas hospitalares e pensão de um salário mínimo por mês.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.