Um selo para identificar os bons SACs

Marcelo Moreira

06 de novembro de 2008 | 19h28

ELENI TRINDADE – JORNAL DA TARDE

Vem aí mais um aliado dos consumidores contra os Serviços de Atendimento ao Consumidor (SAC) que desrespeitam os cidadãos: o selo SAC Amigo do Cliente, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Relações com o Cliente (IBRC).

O objetivo da certificação é melhorar a qualidade do atendimento telefônico das empresas, um dos setores que mais geram reclamações dos consumidores. O selo será lançado oficialmente no dia 3 de dezembro.

Mais de 50 empresas se candidataram a receber a certificação, mas apenas 7 atingiram o percentual mínimo de conformidade. “O selo é um indicativo de qualidade no atendimento e pode ajudar os consumidores em suas decisões de compra”, explica Alexandre Diogo, presidente do IBRC. “Para as empresas também há vantagens, pois mostra ao público seu interesse em obter excelência em serviços.”

Totalmente voluntário, o selo avalia uma série de aspectos do atendimento da empresa que se candidatar a recebê-lo por meio dos “clientes surpresa”.Após o período de análise, a empresa recebe o selo, que tem validade de 1 ano.

A metodologia usada pelo IBRC é do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), mas segue os parâmetros do Decreto 6.523/08 que regulamenta os Serviços de Atendimento ao Consumidor (SACs) e entra em vigor no dia 1º de dezembro com uma série de novidades para o setor, como contato direto com atendente no primeiro menu de atendimento e tempo de espera de apenas 1 minuto.

O fato de receber o selo, porém, não o torna permanente da empresa. Para mantê-lo, são feitas avaliações periódicas dos serviços prestados. Além disso, a percepção dos clientes auxilia na fiscalização das empresas.

“Os consumidores que utilizarem serviços de uma empresa certificada e forem mal atendidos podem denunciar o fato para o IBRC e a empresa pode perder a certificação se a denúncia for procedente, se houver muitas reclamações ou em caso de denúncias graves”, explica Diogo.

As denúncias devem ser feitas pelo site do programa, onde é possível também conhecer toda a metodologia e os outros selos concedidos pela entidade.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.