TV paga: cobrança lidera ranking de reclamações

Marcelo Moreira

20 de agosto de 2009 | 20h12

FERNANDO TAQUARI – JORNAL DA TARDE

A cobrança foi, em junho, o item dos serviços de TV por assinatura que atingiu o maior porcentual de reclamações no ano. Pesquisa da Teleco, consultoria de telefonia, revela que 39,9% dos assinantes no País fizeram queixas deste serviço à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

“A disposição de reclamar é maior porque a cobrança mexe no bolso do cliente”, afirma Eduardo Tude, presidente da Teleco. Ele diz que é comum o consumidor, ao fechar um negócio, não entender direito o plano oferecido pela operadora. “Quando chega a conta, ele não sabe porque está sendo cobrado aquele valor.”

Fátima Lemos, assistente de direção da Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), lembra que há casos de clientes que contratam um plano e são cobrados por outro. “Isso sem contar operadoras que cobram, de forma indevida, uma multa de fidelização.

O fim da cobrança pelo ponto extra da TV paga, aprovado em abril, também se refletiu nas críticas, já que as operadoras, agora, só podem taxar a instalação do ponto adicional.

Alguns clientes, porém, estão sendo obrigados a pagar mensalidade pelo aluguel do decodificador. “Nada justifica isso”, afirma Fátima. O consumidor, acrescenta ela, também deve ter um abatimento automático na fatura seguinte se ocorrer uma interrupção no sinal.

O cancelamento de assinatura (7,2%), a programação (5,1%) e o bloqueio de serviço (4,4%) também tiveram, em junho, o maior porcentual de reclamações do ano. A cobrança lidera o ranking anual, com média de 32,9% do total de queixas.

Tendências: