Tormento nos aeroportos

A tarde de segunda-feira foi de confusão nos principais aeroportos do País. Em São Paulo, voo da Gol de Guarulhos para Vitória (11h) foi cancelado por falta de tripulação e os passageiros foram para Congonhas, de onde seguiriam pela TAM às 17h

Marcelo Moreira

03 de agosto de 2010 | 14h20

Lígia Formenti, Pedro Dantas e Nataly Costa

A tarde de ontem foi de confusão nos saguões dos principais aeroportos do País. Em São Paulo, um voo da Gol que sairia de Guarulhos para Vitória às 11h foi cancelado por falta de tripulação e os passageiros acabaram mandados para Congonhas, de onde seguiriam pela TAM às 17h.

“Não autorizaram nosso embarque e não aparece ninguém da Gol para dizer o que fazer”, afirmou o técnico em eletrônica Rodrigo Bonome, que também acusou a Gol de não oferecer refeição aos passageiros.

Vinda de Cuiabá e fazendo conexão em São Paulo, a família Marchesi saiu no prejuízo. Os estudantes Mateus e Ricardo, de 11 e 13 anos, lamentavam perder os peixes que haviam pescado nas férias. “Vão estragar”, dizia um desconsolado Mateus.

Em Brasília, passageiros da Gol não escondiam a revolta com a falta de informações no Aeroporto Juscelino Kubitschek. “Fiquei sabendo das mudanças constantes de horário pela tela de voos – nem explicação nem um pedido de desculpas”, afirmava o médico Lupicínio Torres, que veio de João Pessoa passar o fim de semana. Seu retorno estava marcado para 7 horas de ontem. “Um dia perdido no aeroporto e, para eles, é como se nada estivesse acontecendo”, afirmou Torres.

No Rio, o cancelamento de voos da Gol causou tumulto. Durante a noite de domingo e a madrugada de ontem filas se formaram no check in da companhia e houve confusão, principalmente por ser ontem o último dia de férias escolares.

No Aeroporto Internacional do Rio, uma decolagem para Buenos Aires, com escala em Porto Alegre, na madrugada de ontem foi cancelada e revoltou os passageiros.

A companhia aérea acomodou a maioria em um hotel na Barra da Tijuca, na zona oeste, mas alguns clientes preferiram aguardar no saguão do aeroporto. A Gol distribuiu vales alimentação enquanto as pessoas aguardavam no Galeão.

A assessoria de comunicação da Infraero do Tom Jobim informou que não iria se manifestar, pois o assunto era da companhia aérea.

Tudo o que sabemos sobre:

AnacatrasoGolvoos atrasados

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.